Marcelo Odebrecht ficou completamente chocado, diz fonte ligada à empresa

Marcelo Odebrecht ficou completamente chocado, diz fonte ligada à empresa

Presidente da empreiteira foi preso em nova fase da Lava Jato

Redação

19 de junho de 2015 | 11h21

Marcelo Odebrecht. Foto: Enrique Castro/Reuters

Marcelo Odebrecht. Foto: Enrique Castro/Reuters

Por Renée Pereira

O clima na sede da Odebrecht nesta sexta-feira, 19, em São Paulo é de consternação, segundo fonte ligada à empresa. Com a deflagração da nova fase da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, alguns funcionários não conseguiram entrar no prédio e estão trabalhando de casa. O presidente Marcelo Odebrecht e os diretores Márcio Faria, Alexandrino Alencar e Rogério Araújo foram presos.

Segundo a fonte, Marcelo Odebrecht ficou completamente chocado com a ida dos policiais à sua casa.

Márcio Faria e Rógerio Araújo estão sob suspeita desde setembro de 2014 quando foram citados pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás como responsáveis pelo pagamento de US$ 23 milhões de propina da Odebrecht para uma conta aberta na Suíça. Alexandrino Alencar é diretor de Relações Institucionais da Odebrecht e levou o ex-presidente Lula para Cuba, EUA, República Dominicana em janeiro de 2013.

Batizada da Operação Erga Omnes, a nova fase cumpre 59 mandados judiciais em quatro Estados – 38 mandados de busca e apreensão, nove mandados de condução coercitiva, oito mandados de prisão preventiva e quatro mandados de prisão temporária. Cerca de 220 policiais federais participam da operação. Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba onde permanecerão à disposição da Justiça Federal.

COM A PALAVRA, A ODEBRECHT

“A Construtora Norberto Odebrecht (CNO) confirma a operação da Polícia Federal em seu escritório em São Paulo e no Rio de Janeiro, para o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Da mesma forma, alguns mandados de prisão e condução coercitiva foram emitidos.

Como é de conhecimento público, a CNO entende que estes mandados são desnecessários, uma vez que a empresa e seus executivos, desde o início da operação Lava Jato, sempre estiveram à disposição das autoridades para colaborar com as investigações.

Construtora Norberto Odebrecht”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: