Marcelo Miranda depõe a ministro do STJ sobre obras de R$ 850 mi e é liberado

Marcelo Miranda depõe a ministro do STJ sobre obras de R$ 850 mi e é liberado

Governador do Tocantins (PMDB) foi ouvido no prédio da Justiça Federal em Palmas pelo ministro Mauro Campbell na quinta fase da Operação Ápia por suspeita de propinas em obras de infraestrutura do Estado com recursos da União

Julia Affonso e Fausto Macedo

18 Agosto 2017 | 10h38

Governador do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB). Foto: Silvio Santos/ALTO

O governador de Tocantins Marcelo Miranda (PMDB) depôs ao ministro Mauro Campbell, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) nos autos da quinta fase da Operação Ápia, que investiga supostos desvios e pagamentos de propinas em obras de infraestrutura com recursos da União. O depoimento ocorreu na manhã desta sexta-feira, 18, na sede da Justiça Federal em Palmas. Logo cedo, agentes da Polícia Federal acompanharam oficial de Justiça para intimar Miranda em sua residência.

A quinta etapa da Ápia foi batizada de Convergência porque tem ligação com outro desdobramento da investigação, a Reis do Gado, na qual o governador foi conduzido coercitivamente para depor.
A apuração, que tramita no STJ, apontou que obras de terraplanagem e pavimentação asfáltica realizadas em Tocantins entre 2011 e 2014 custaram cerca de R$ 850 milhões e abriram ‘créditos indevidos’ a empresários do setor.

A Operação Ápia, em outras fases, também investiga mais políticos de Tocantins, como os ex-governadores Sandoval Cardoso (SD) e Siqueira Campos (ex-PSDB).

Nesta sexta-feira, 18, o governador Miranda chegou por volta de oito horas no prédio da Justiça Federal para depor ao ministro Campbell.

O ministro queria esclarecer detalhes da investigação. Campbell já havia tomado o depoimento de Marcelo Miranda no âmbito da Reis do Gado, investigação que põe o chefe do Executivo sob suspeita em contrato de prestação de serviços de uma empresa de táxi aéreo e da prática de lavagem de dinheiro por meio da compra de gado.

Miranda nega irregularidades em seu governo.

Mais conteúdo sobre:

Operação ÁpiaMarcelo Miranda