Marcelo Bretas, juiz da Lava Jato no Rio, pede escolta e carro blindado

Marcelo Bretas, juiz da Lava Jato no Rio, pede escolta e carro blindado

A solicitação foi feita ao Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região em decorrência de 'situações suspeitas', segundo uma fonte

Mariana Sallowicz, do Rio

13 de fevereiro de 2017 | 18h03

Juiz Marcelo Bretas. Foto: Marcos Arcoverde/Estadão

Juiz Marcelo Bretas. Foto: Marcos Arcoverde/Estadão

Responsável pela prisão do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e de Eike Batista, o juiz federal Marcelo da Costa Bretas precisou pedir à Justiça escolta e carro blindado. A solicitação foi feita ao Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região em decorrência de “situações suspeitas”, disse uma fonte.

Na sexta-feira, o titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, responsável pelos desdobramento da Lava Jato no Estado, tornou réus na Operação Eficiência Eike Batista e o ex-governador do Rio por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Bretas aceitou denúncia do Ministério Público Federal apresentada no mesmo dia.

Eike foi acusado pela força-tarefa da Lava Jato de ter pago US$ 16,5 milhões em propina ao esquema liderado por Cabral para ter benefícios em seus negócios. Já o ex-governador foi acusado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Ambos estão presos no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, na zona oeste do Rio. O ex-governador do Rio já é réu em três ações penais.

Tendências: