Mais um ano se foi…

Ricardo Viveiros*

31 de dezembro de 2019 | 17h00

O que fizemos por nós mesmos, nossas famílias, amigos, comunidade, País?

Será que deixamos passar um ano fazendo mecanicamente “mais do mesmo” – sem inovar, criar e, de fato, construir algo diferente?

Fomos felizes, sim, mas de modo cômodo? Igual, sem ousar para evoluir?

Repetimos, sob o ilusório manto da coerência, o que sempre fizemos acreditando, com ar pretensioso, que somos importantes, úteis, produtivos?

Fomos, de verdade, éticos, capazes, inovadores, solidários, eficientes? Geramos resultados para o crescimento real de nós mesmos, nossas famílias, amigos e País?

Em meio às dúvidas para responder a tantos questionamentos, há muitas oportunidades nada conservadoras. Mas, capazes de transformar.

Eis alguns exemplos de experiências geradoras de efetivas mudanças. Que podem fazer de cada um de nós alguém capaz de progredir, realmente, no ano que vem:

1a) Ver por dentro um hospital público de periferia, conhecer o seu dia a dia. Então, dar valor à saúde. E cuidar dela para nós mesmos e nossos semelhantes. Ter a iniciativa de um trabalho voluntário para minimizar a dor dos que estão sofrendo.

2a) Conhecer uma penitenciária, saber como sobrevivem os presidiários. Assim, sentir o quanto é importante a liberdade para todos que a merecem. Fazer ainda mais por desfrutar esse direito. Criar algo que possa ajudar na recuperação das pessoas que cometeram crimes, levando-as a refletir e entender que pode dar certo ser normal.

3a) Por fim, percorrer as alamedas de um cemitério. Ler as placas das sepulturas e constatar o tempo de vida de cada semelhante que se foi. Imaginar o que pode ou não ter vivido, o que construiu e deixou como legado. E ter a mais plena certeza de que viver vale a pena, quando somos empreendedores, e não apenas cumprimos nossas tarefas.

Experimentar estas vivências com simplicidade, amor e respeito a si mesmo e ao próximo. E crescer ainda mais.

Nada daquelas promessas para o Ano Novo, quase sempre não cumpridas.

O que desejo para 2020 é saúde, coragem, força, esperança e criatividade. O sincero objetivo de fazer mais e melhor. De olhar por si, pelos seus e estender sua mão ao próximo sem vaidade. Com o justo orgulho do dever cumprido por você, por nós, pelo País.

Sentir a doce certeza de que felicidade é algo que transcende nosso mundo pessoal.

Que venha um novo tempo!

Conscientes e responsáveis aqui estaremos prontos para enfrentar esse perigoso e fascinante desafio… Viver!

*Ricardo Viveiros é jornalista e escritor. Autor, entre outros livros, de A vila que descobriu o Brasil e Justiça seja feita

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: