Mais 11 candidatos são barrados pela Lei da Ficha Limpa em São Paulo

Redação

26 de agosto de 2014 | 17h51

Tribunal Regional Eleitoral já acolheu 31 impugnações por contas rejeitadas, improbidade, crimes e quebra de decoro.

Fausto Macedo e Ricardo Chapola

A Procuradoria Regional Eleitoral em São Paulo obteve nesta segunda-feira, 25, mais 11 impugnações de candidatos pela Lei da Ficha Limpa, que aponta as situações em que o candidato se torna inelegível. Agora, são 31 impugnações pela Ficha Limpa propostas pelo procurador regional eleitoral André de Carvalho Ramos e acolhidas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em São Paulo.

Segundo a Procuradoria Eleitoral, quatro impugnações ocorreram por contas rejeitadas no exercício de cargos públicos: Maria Helena Vannuchi (PT), Antonio Amaral Junior (PT) Ângelo Augusto Perugini (PT) e Adler Alfredo Jardim Teixeira (PSC).

A Procuradoria Eleitoral divulgou que também foram impugnados Edmilson Gonçalves de Souza (PSDC), que perdeu o mandato de vereador de Limeira (SP) por quebra do decoro parlamentar, ficando inelegível por oito anos; José Izidro Neto (Coligação PMDB-PSD-PP) e Pedro Luiz Viviani, condenados por improbidade administrativa, e Wellinton José dos Santos (PEN), por crime contra a administração pública. Santos também foi cassado por quebra de decoro parlamentar.

Sandra Pereira da Silva Lima (PTB) foi condenada, em decisão definitiva, por crime contra fé pública.
O TRE indeferiu também as candidaturas de Ricardo Morachi (Coligação PMDB-PSD-PP) e de Adeir Cupertino (PSC), impugnado pela PRE, por condenação por crime contra o patrimônio. No primeiro caso, pelo artigo 172 e no segundo pelo artigo 157 parágrafo 3º do Código Penal.

 

Mais conteúdo sobre:

eleiçõesFicha Limpa