Maioria dos países piorou desempenho no índice de percepção da corrupção

Maioria dos países piorou desempenho no índice de percepção da corrupção

Das 180 nações que compõem ranking produzido pela Transparência Internacional, 65 registraram pontuações piores em relação ao estudo anterior; 55 permaneceram estáveis e 60 apresentaram melhora

Igor Moraes

29 de janeiro de 2019 | 03h01

Imagem ilustrativa. Foto: Polícia Federal / Reprodução

O Índice de Percepção da Corrupção (IPC) 2018, divulgado pela Transparência Internacional nesta sexta-feira, 29, indicou que 65 dos 180 países que compõem o ranking pioraram suas notas em relação a 2017.

No total, 55 países permaneceram estáveis e outros 60 registraram melhora na comparação com o estudo anterior.

A média global foi de 43 pontos – em uma escala de 0 a 100 -, a mesma do estudo anterior.

Segundo a Transparência Internacional, qualquer pontuação abaixo de 50 significa que o país está falhando no combate à corrupção.

Com 35 pontos no IPC 2018, o Brasil ficou empatado com Argélia, Armênia, Costa do Marfim, Egito, El Salvador, Peru, Timor Leste e Zâmbia na 105ª colocação global. Esta é a pior posição do País no ranking desde 2012, quando a metodologia do índice mudou e passou a permitir a análise da série histórica.

Para a Transparência Internacional, os números demonstram a necessidade de um esforço global para o combate às raízes da corrupção. A organização alerta, contudo, que os cidadãos devem estar atentos à “soluções autoritárias e discursos populistas” e afirma que o enfrentamento ao problema deve ser realizado pela “via democrática, com fortalecimento das instituições, das leis e do consenso social sobre o valor da integridade”.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Transparência InternacionalCorrupção

Tendências: