Maior reduto dos juízes diz que vai agir para proteger independência da toga

Maior reduto dos juízes diz que vai agir para proteger independência da toga

Em nota, Associação dos Magistrados Brasileiros cita instauração pela Corregedoria Nacional de Justiça de pedidos de providências sobre manifestações públicas da classe e anuncia que 'atuará de forma intransigente na defesa dos direitos e prerrogativas'

Redação

19 de outubro de 2018 | 17h51

Foto: Jason Morisson/Free Images

A maior e mais influente entidade dos juízes, Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), informou nesta sexta, 19, que vai agir para ‘resguardar a independência’ da toga. Em nota pública, a AMB – que reúne mais de 15 mil magistrados em todo o País -, cita que a Corregedoria Nacional de Justiça instaurou, em outubro, pedidos de providências sobre manifestações de juízes de diversos estados.

A nota da AMB é subscrita por sua presidente em exercício, Renata Gil. “A Associação dos Magistrados Brasileiros, maior entidade representativa da magistratura nacional, nas esferas estadual, trabalhista, federal e militar, reitera que atuará de forma intransigente na defesa dos direitos e prerrogativas dos magistrados brasileiros.”

AMB destaca que acompanhará ‘de perto’ os procedimentos e que ‘estará junto aos magistrados na apresentação dos esclarecimentos à Corregedoria’.

“A entidade tomará as medidas necessárias para resguardar a independência e a liberdade de expressão da magistratura nacional”, ressalta Renata Gil.

Tudo o que sabemos sobre:

Justiça

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.