Mãe e tia são denunciadas por tortura de menino de 3 anos com deficiência que era mantido nu em barril

Mãe e tia são denunciadas por tortura de menino de 3 anos com deficiência que era mantido nu em barril

Criança teria ficado pelo menos três dias no barril cerrado ao meio, sem roupa, água ou comida, no Itaim Paulista, zona leste de São Paulo; mulheres foram presas em flagrante durante resgate

Redação

16 de março de 2021 | 19h45

*O texto foi atualizado no dia 17.03 para correção. Inicialmente usamos o termo ‘portador de deficiência’, terminologia incorreta.

Menino teria passado pelo menos três dias no barril cerrado ao meio. Foto: Reprodução

O Ministério Público de São Paulo denunciou duas mulheres à Justiça pela tortura de um menino de três anos. Elas são mãe e tia da criança com deficiência e foram presas em flagrante no final do mês passado.

Documento

O caso veio a público depois que o menino foi resgatado desnutrido pela Polícia Militar no Itaim Paulista, bairro na zona leste da capital paulista. A PM localizou a criança e prendeu as mulheres após ser acionada pelo Conselho Tutelar. O órgão havia recebido um vídeo que mostra o menino sem roupas, coberto com panos, dentro de um barril cerrado ao meio.

De acordo com a denúncia, a criança foi mantida por pelo menos três dias no barril, sem água ou comida. O documento narra que o local estava em ‘péssimas’ condições sanitárias.

“Tia e sobrinha decidiram encarcerar dentro de um barril cortado ao meio e encostado na parede, em ambiente insalubre do imóvel a criança, Eduardo, desprovida de roupas, água, alimentos e cuidados, deixando-a no local em inanição, por cerca de três dias, visando castigá-la”, diz um trecho do documento.

A denúncia deve ser processada pela Vara da Infância e Juventude de São Paulo.

No 50º Distrito Policial, a mãe da criança, de 20 anos, ficou em silêncio durante o interrogatório. A tia, de 44 anos, negou que o menino passasse o dia no barril e disse que ele era colocado lá ‘apenas após as refeições, para fazer suas necessidades’. Também afirmou aos policiais que pensou em comunicar a situação ao Conselho Tutelar, mas nunca chegou a formalizar uma denúncia.

Outro caso de grande repercussão aconteceu em Campinas, no interior paulista, onde uma criança de 11 anos foi resgatada no final de janeiro após ser encontrada por policiais militares com as mãos e pés acorrentados dentro de um barril de ferro. Vizinhos denunciaram o caso e três pessoas foram presas, incluindo o pai do menino.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.