Luzes da ribalta do Supremo

Luzes da ribalta do Supremo

Toffoli e Ibaneis inauguram nova iluminação externa do edifício-sede; obra compreendeu troca de luminária, lâmpada, cabeamento e arcabouço referentes aos 144 refletores que circulam a Corte

Redação

27 de agosto de 2019 | 17h24

Uma nova iluminação externa da fachada do edifício-sede do Supremo foi inaugurada nesta segunda, 26, pelo presidente da Corte, Dias Toffoli, e o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. Segundo informou o site do Supremo, a mudança é resultado de um convênio entre as duas partes e está inserida no processo de revitalização dos monumentos de Brasília que faz parte dos preparativos para a comemoração dos 60 anos da cidade, em 2020.

Toffoli ressaltou que a troca de iluminação se soma ao projeto de revitalização da Praça dos Três Poderes. “O STF está inserido dentro desse quadrilátero que, além de representar a harmonia entre Poderes equidistantes, é o maior ponto turístico cívico do Brasil.”

Segundo o ministro, o convênio entre STF e GDF soma esforços ‘para melhorar a qualidade física, estrutural, ambiental e cultural, a fim de oferecer uma melhor utilização da Praça dos Três Poderes e também de todo o seu entorno’.

Ibaneis destacou que a modernização da iluminação externa do prédio do STF tem um ‘grande significado para Brasília e para o Brasil, uma vez que a Corte está localizada na Praça dos Três Poderes, que é o símbolo da nossa cidade, é a união dos Poderes e representa o respeito que cada Poder tem que ter pelo outro’.

A modernização da iluminação do prédio foi realizada pela Companhia Energética de Brasília (CEB). A obra compreendeu a troca de luminária, lâmpada, cabeamento e arcabouço referentes aos 144 refletores que circulam o Tribunal.

Lâmpadas convencionais foram substituídas por modelos de LED. A mudança oferece vantagens como o aumento da luminosidade e da sensação de segurança e, principalmente, economia para os cofres públicos, destaca o site do Supremo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.