Lula indicou WTorre para obra de prédio alugado pela Petrobrás, diz Cerveró

Lula indicou WTorre para obra de prédio alugado pela Petrobrás, diz Cerveró

Edifício abriga 10 mil funcionários da área administrativa da estatal; obra foi orçada em R$ 1,2 bilhão

Fausto Macedo, Julia Affonso e Ricardo Brandt

13 de janeiro de 2016 | 05h00

Foto: Reprodução/Google StreetView

Foto: Reprodução/Google StreetView

O ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró, um dos delatores da Operação Lava Jato, afirmou à Procuradoria-Geral da República que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ‘indicou’ a empreiteira WTorre Engenharia para a construção de um edifício na rua do Senado, centro do Rio que, a partir de 2013, foi alugado pela estatal. O Centro Empresarial Senado Petrobrás abriga 10 mil funcionários da área administrativa. A obra – de 115 mil metros quadrados de área construída e 95 mil metros de área bruta locável – foi orçada em R$ 1,2 bilhão.

As declarações estão em um resumo entregue por Cerveró à Procuradoria, antes de o ex-diretor fechar acordo de delação premiada. Na delação, Cerveró citou o ex-diretor de Serviços da Petrobrás Renato Duque, preso na Lava Jato desde fevereiro de 2015, por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro.

“Sabe que a indicação de Walter Torre foi feita pelo Presidente Lula, porque Renato Duque comentou na reunião da Diretoria onde foi apresentado o projeto”, relatou o delator, em referência ao dono da WTorre.

cervero-wtorre-petrobras

 

O ex-diretor destacou que o plano original da empreiteira era construir um prédio colossal, ‘o maior prédio do mundo’, com 400 metros de altura e 150 andares, ‘maior que o Pão de Açúcar’.

“Destaque-se a sugestão do Walter Torre feita ao presidente Lula de construir o maior prédio do mundo da altura de 400 metros (150 andares) maior que o Pão de Açúcar, que não foi adiante pelo absurdo da obra e pelo impacto que causaria na cidade”, afirmou.

A Petrobrás é locatária até 2029. O contrato prevê aluguéis de cerca de R$ 100 milhões ao ano por esse período.

[veja_tambem]

Segundo o ex-diretor, o então presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, se opôs a sugestões de uma Comissão criada para apresentar alternativas à construção. Cerveró afirmou que, em 2006, com o crescimento do número de funcionários na Petrobrás, ‘a Diretoria’ decidiu construir um novo prédio de grandes proporções para acomodar esse pessoal.

Foi então nomeada, afirmou o delator, uma comissão da Diretoria de Serviços que deveria sugerir a melhor alternativa, de preferência próxima a sede atual, no centro do Rio.

“Por 3 vezes esta comissão apresentou alternativas de aluguel de prédios próximos a Petrobrás e que foram recusadas por decisão de Gabrielli, que levantou uma série de questões para obstar a escolha. Até que foi finalmente aprovada a proposta da WTorre já construída e em operação na rua do Senado, no Rio de Janeiro”, declarou Cerveró.

Em setembro de 2015, Walter Torre declarou à CPI da Petrobrás negou irregularidades em contratos com a Petrobrás. Segundo o dono da empreiteira, a WTorre mantém dois contratos de aluguel de edifícios com a estatal.

COM A PALAVRA, O INSTITUTO LULA

Não vai comentar.

COM A PALAVRA, A WTORRE

Sobre a locação do Centro Empresarial Senado à Petrobras, a WTorre esclarece que já era proprietária de terreno de grandes dimensões nas imediações da sede da Petrobras e com projeto de construção aprovado.

Iniciou a obra de um edifício Triple A, com área locável de 103,6 mil metros quadrados. O projeto foi apresentado à Petrobras que, naquela ocasião demandava edifícios de grandes proporções para acomodar seu contingente. Naquela ocasião, além do Centro Empresarial Senado, a Petrobras locou outros edifícios de dimensões similares.

A localização, as características do edifício e o valor do contrato de aluguel, compatíveis com os praticados pelo mercado imobiliário. O contrato entre a WTorre e a Petrobras é público e está à disposição.

O edifício em questão é um dos mais reconhecidos no Brasil e no exterior. Dentre as seis premiações recebidas pelo empreendimento, destaca-se o Prix D´Excellence 2013, concedido pela Federation Internationale des Administrateurs de Bien-Conselis Immobiliers, entidade francesa de mais de 60 anos de tradição.

Por fim, gostaríamos de lembrar que a WTorre, não faz obra pública e que seu fundador ou qualquer outro executivo da companhia não recorreu a nenhuma intermediação política para firmar este ou qualquer outro contrato.

A companhia continua à disposição para esclarecer esta ou outras questões que possam por em risco sua reputação e a correção com que trata seus negócios e seus clientes.

São Paulo, Janeiro de 2016

COM A PALAVRA, O EX-PRESIDENTE DA PETROBRÁS JOSÉ SÉRGIO GABRIELLI

Todas as decisões sobre os prédios foram tomadas com base em pareceres técnicos sobre as condições de mercado, custos operacionais e financeiros, coletivamente pela Diretoria Executiva da Petrobras. Quanto ao prédio de 400 metros o projeto sequer foi objeto de decisão pelo Colegiado, sendo rejeitado preliminarmente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.