Lula cobra R$ 1,5 milhão de Delcídio por danos morais

Lula cobra R$ 1,5 milhão de Delcídio por danos morais

Advogados do ex-presidente alegam que ex-líder do Governo no Senado 'mentiu' ao atribuir a ele obstrução da Justiça

Fausto Macedo, Julia Affonso e Mateus Coutinho

11 de novembro de 2016 | 16h14

Lula (à esq.) e Delcídio. Foto: Ed Ferreira/AE

Lula (à esq.) e Delcídio. Foto: Ed Ferreira/AE

O ex-presidente Lula decidiu processar Delcídio Amaral (ex-PT/MS), delator da Operação Lava Jato. O petista cobra R$ 1,5 milhão do ex-líder do Governo Dilma no Senado por danos morais.

Os advogados do petista anunciaram nesta sexta-feira, 11, que protocolaram ação de reparação de danos morais contra Delcídio ‘por ele ter, em delação, mentido ao dizer que Luiz Inácio Lula da Silva agiu para obstruir a Justiça’.

A ação de danos morais é subscrita pelos advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins.

A ofensiva de Lula contra seu ex-companheiro foi decidida com base, segundo os advogados do ex-presidente, nos relatos de cinco depoentes da audiência pública ocorrida em 8 de novembro na 10.ª Vara Federal de Brasília.

“Foram unânimes ao reconhecer que Lula jamais tentou interferir, direta ou indiretamente, na delação premiada de Nestor Cerveró, ao contrário do que fora afirmado por Delcídio do Amaral”, sustentam os advogados de Lula.

Tudo o que sabemos sobre:

LulaDelcídio Amaraloperação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.