Lula é intimado: prazo para acertar os R$ 31 milhões com a Lava Jato é de 15 dias

Lula é intimado: prazo para acertar os R$ 31 milhões com a Lava Jato é de 15 dias

Ex-presidente tem que pagar ou apresentar à Justiça proposta de parcelamento dos valores da reparação de danos e multa, decorrentes da condenação no caso triplex pelos desvios na Petrobrás

Ricardo Brandt, Fausto Macedo e Luiz Vassallo

05 Setembro 2018 | 18h08

Na segunda-feira, 3 de setembro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou a intimação comunicando a cobrança de R$ 31 milhões expedida pela  juíza Carolina Moura Lebbos, da 12.ª Vara Federal de Curitiba, pela condenação na Operação Lava Jato no caso do triplex do Guarujá.

Os R$ 31 milhões são o montante atualizado “dos valores devidos a título de custas (R$ 99,32), multa (valor total de R$ 1.299.613,46) e reparação de danos (R$ 29.896.000,00)” no processo em que Lula está condenado e preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O documento registra a assinatura de Lula.

Com a intimação enviada a Lula dentro da sede da Polícia Federal, em Curitiba, onde está preso em uma cela especial desde o dia 7, passou a contar o prazo de 15 dias dado pela Justiça para que o petista pague o montante em conta judicial aberta ou comunique proposta de parcelamento.

“Providencie o pagamento da multa, da reparação dos danos e das custas processuais ou formule, justificadamente, proposta de parcelamento no prazo de 15 dias”, registra ato ordinário da 12.ª Vara Federal.

Lula recorre da condenação em segundo grau, decretada em janeiro no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) – a segunda instância da Lava Jato de Curitiba. O ex-presidente teve o registro de sua candidatura à Presidência da República pelo PT negada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por estar inelegível, pelas regras da Lei da Ficha Limpa.

 

Nesta segunda-feira, 3, mesmo dia em que discutiu pela primeira vez com aliados, em especial seu substituto na disputa eleitoral, sua impugnação pelo TSE, Lula teve que assinar a intimação, em que toma conhecimento da cobrança dos R$ 31 milhões.

A condenação de Lula no caso triplex é a primeira contra o petista na Lava Jato em Curitiba. Ele é réu ainda em outras duas ações penais: a do terreno do Instituto Lula e a do sítio de Atibaia. No caso triplex, o processo trata de propina recebida da empreiteira OAS e relaciona desvios em obras nas refinarias Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco, e Getúlio Vargas (Repar), no Paraná.