Lula diz a Rui Falcão que PT ‘tem o direito de divergir’ de Dilma

Em grampo no dia seguinte à festa de aniversário do partido, ex-presidente afirma que 'a gente tem que sustentar essa porra'

Por Andreza Matais, Fábio Fabrini e Ricardo Brandt

17 de março de 2016 | 21h18

 

No dia seguinte à festa dos 36 anos do PT, domingo, 28 de fevereiro, o ex-presidente Lula caiu no grampo conversando com o presidente do partido, Rui Falcão. Os dois falam de Dilma. A interceptação realizada pela Polícia Federal na Operação Aletheia, desdobramento da Lava Jato que pegou Lula, mostra o alcance do diálogo dos interlocutores. O ex-presidente fala de seu pronunciamento na festa.

Lula diz: “Agora, você percebe que é o seguinte. Eu fiz o discurso prá tentar mostrar primeiro é garantir o direito do PT de divergir dela, sabe?”

Rui Falcão responde: “A gente tá apoiando, mas não tem que concordar com tudo.”

Lula: “A  gente tem que sustentar essa porra, não tem jeito.”

Rui: “Se ela sair é pior ainda.”

Lula: “Eu sei.”

Dilma não foi à festa do PT e não foi poupada pela militância e por quadros importantes da legenda. “Dilma, chega de ajuste fiscal e superáviti”, dizia uma faixa.

No dia seguinte, Lula e Rui Falcão se falaram. Lula estava no grampo da Operação Aletheia.

“Desculpa o desabafo aí, tô com o saco cheio, porra”, disse Lula, em referência ao discurso que fez no evento do partido.

Rui fez sua análise. “Foi bom porque explicou didaticamente, foi muito bom. O pessoal saiu de lá com gana mesmo. Agora, os jornais vão dar amanhã ‘Lula lança candidatura’.”

“Eu quero que se foda”, respondeu o ex-presidente. “O DataFolha de amanhã, com toda a merda, vai publicar pesquisa que eu fui o melhor presidente da história do Brasil.”

Rui: “Lembra que o Vox Populi tinha dado isso comparando você com o FHC? Deixa eu te perguntar uma coisa. O Jaques (Vagner) tinha me falado que segunda feira o pessoal ia almoçar com ela (Dilma). Surpeendentemente, eu tava conversando com o Edinho me perguntaram se eu ia estar com a Dilma segunda feira.”

Lula: “Eu não tenho resposta. Eu tinha dito prá ela. Ô Dilma, você vai pro Rio dorme lá não custa nada dormir de frente prá praia, caralho. Aí ela disse ‘Não dá prá vir prá Brasília conversar?”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.