Luiz Estevão fica dois dias de castigo na Papuda por assédio a carcereira

Luiz Estevão fica dois dias de castigo na Papuda por assédio a carcereira

Isolamento foi imposto a ex-senador condenado a 28 anos de reclusão por fraudes e desvios nas obras do Fórum Trabalhista de São Paulo

Luiz Vassallo/SÃO PAULO

06 de agosto de 2019 | 16h28

Luiz Estevão. Foto: Estadão

O ex-senador Luiz Estevão cumpriu isolamento preventivo de dois dias no Complexo Penitenciário Federal da Papuda, após suposto assédio contra uma agente penitenciária.

Ele foi condenado a 28 anos de reclusão. Em duas sentenças relativas a fraudes nas obras do Fórum Trabalhista de São Paulo e também por sonegação fiscal, ele foi condenado a 28 anos de reclusão.

Em março, a juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal, chegou a autorizar a progressão do ex-parlamentar para o regime semiaberto.

A Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), vinculada à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), afirma que ‘que está em curso um procedimento apuratório contra o detento L. E. para avaliar possível desrespeito a uma servidora’.

“Ao tomar conhecimento da denúncia, a Sesipe colocou o detento em isolamento disciplinar preventivo, por dois dias (já cumpridos), a título de medida administrativa inicial. Ao término do procedimento de apuração será avaliado se houve falta disciplinar e, nesse caso, qual será a punição”, afirma a pasta.

COM A PALAVRA, A DEFESA

O advogado Marcelo Bessa não comentou o caso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: