Lira Neto diz que não ganhará R$ 547 mil do Ceará por livro sobre a epidemia e que seu nome é o único patrimônio de que dispõe

Lira Neto diz que não ganhará R$ 547 mil do Ceará por livro sobre a epidemia e que seu nome é o único patrimônio de que dispõe

Escritor informou, em nota, que deverá receber 30% do valor do contrato para entrevistas e texto e que montou uma equipe de repórteres; os outros 70%, esclareceu, serão destinados a um escritório especializado para demais etapas da produção

Rayssa Motta e Fausto Macedo

10 de fevereiro de 2021 | 08h37

O jornalista e escritor Lira Neto. Foto: Divulgação

Escolhido para escrever um livro sobre os efeitos e desdobramentos da pandemia da covid-19 no Ceará, o jornalista e escritor cearense Lira Neto, autor das biografias de Getúlio Vargas e Padre Cícero, ficará responsável pela pesquisa documental, entrevistas e o texto da obra.

O livro já tem nome: ‘Pandemia: a luta contra o covid-19 no Ceará’ e a expectativa é que seja finalizado em abril.

O autor, que mora há dois anos em Portugal, esclarece que não receberá R$ 547 mil pelo trabalho. O montante inclui todas as etapas de produção.

“Minha participação no projeto resume-se à pesquisa documental, realização de entrevistas e elaboração do texto — tarefas para cujas execuções montei uma equipe de repórteres. Tais itens compõem cerca de 30% do valor anunciado. Não tenho qualquer ingerência, poder de decisão ou responsabilidade sobre o destino dos demais 70% dos recursos. Estes foram assumidos e serão administrados por um escritório especializado”, informou ao Estadão após a publicação de uma primeira reportagem sobre o assunto. “Depois de décadas de trabalho como jornalista e escritor, meu nome é o único patrimônio de que disponho”, acrescenta.

Trecho do extrato de inexibilidade de licitação para produção do livro. Foto: Reprodução/Diário Oficial do Ceará

De acordo com o governo cearense, que patrocina a obra, o projeto foi pensado para reconstruir os dramas humanos decorrentes da covid-19. A pandemia do novo coronavírus no Ceará já matou mais de 10,6 mil pessoas. Os casos confirmados da doença ultrapassam a marca de 386 mil, segundo dados do boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde.

COM A PALAVRA, O GOVERNO DO CEARÁ

“O Governo do Estado do Ceará informa que o apoio à publicação “Pandemia: a Luta contra a Covid no Ceará” seguiu todas as questões legais de contratação, com base na Lei Estadual 16.142, que estabelece normas gerais sobre a política de patrocínio da administração pública do Estado, e publicizada de forma transparente no Diário Oficial do Estado (DOE). A obra, que será utilizada como documento histórico para estudo da pandemia, irá relatar os efeitos e desdobramentos da crise sanitária, social e econômica provocada pela Covid-19, além de mostrar o trabalho dos profissionais de saúde no enfrentamento à pandemia.”

COM A PALAVRA, LIRA NETO

“Ao contrário do que circula nas redes sociais — e bem diferente do que tem sido repercutido, inadvertidamente, inclusive por perfis de colegas jornalistas — não é verdade que irei receber 547 mil reais do governo do estado do Ceará para escrever um livro sobre a epidemia de Covid-19. Minha participação no projeto resume-se à pesquisa documental, realização de entrevistas e elaboração do texto — tarefas para cujas execuções montei uma equipe de repórteres. Tais itens compõem cerca de 30% do valor anunciado. Não tenho qualquer ingerência, poder de decisão ou responsabilidade sobre o destino dos demais 70% dos recursos. Estes foram assumidos e serão administrados por um escritório especializado, a Soter Design, que é a empresa contratada pelo governo e responderá por todas as etapas posteriores, o que inclui mais de uma dezena de itens, desde a coordenação editorial à produção executiva, da elaboração do projeto gráfico à diagramação, da aquisição de direitos de imagens aos custos de administração, da impressão ao frete.”

Tudo o que sabemos sobre:

Ceará [estado]PandemiaCovid-19

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.