Liderança e videocall superam os desafios do teletrabalho

Liderança e videocall superam os desafios do teletrabalho

Diego Moura Diehl, Regianne Martins e Sérgio Shizuo Suguino Júnior*

08 de abril de 2020 | 06h30

FOTO: PIXABAY

Com ou sem coronavírus, o gerenciamento de equipes remotas é um desafio que se impõe cada vez mais às atividades informacionais, que envolvem o trabalho de carreiras nas mais diversas áreas, do direito à tecnologia da informação. Com a pandemia, a necessidade por soluções neste campo foi intensificada. Há estratégias, no entanto, capazes de amenizar o desconforto com os obstáculos provocados pela abrupta adoção do teletrabalho.

O papel do líder da equipe é determinante. O relacionamento entre ele e os membros da equipe deve ser de confiança e tranquilidade, de modo que o processo seja menos estressante para todos.

O primeiro passo para gerenciar de forma satisfatória equipes remotas é planejar as demandas a serem executadas, com prazos realistas para as atividades de cada integrante do time, permitindo também a inspeção objetiva do que está sendo produzido.

Um líder deve possibilitar flexibilidade e autonomia para seus liderados. Mas, se ele não tem definidos os objetivos e metas de cada tarefa, pode provocar descontrole.
Por isso, um segundo elemento fundamental é a comunicação constante do líder com a equipe e dos colaboradores entre si. O uso de aplicativos que permitem consultar o histórico das conversas é incentivado porque dificulta a perda de informações e orientações.

As videoconferências, nesse contexto, são muito bem-vindas. Elas criam um clima de aproximação da equipe. O contato visual ou parcialmente visual dá uma impressão de maior seriedade ao trabalho à distância porque o aproxima do presencial.

Quanto à inspeção de atividades, o ideal é que seja feito em um primeiro momento com a equipe e em segundo plano com cada membro, pelo menos uma vez por dia, visando ao acompanhamento de impedimentos, prazos de entregas e horas trabalhadas, sempre considerando as particularidades de cada integrante do time. Essa inspeção precisa ser registrada. Assim, todos os envolvidos e interessados no projeto podem recorrer a ela quando necessário.

Um outro grupo de soluções envolve obviedades repetidas à exaustão desde o início da crise do coronavírus, mas que nem sempre são observadas com o rigor necessário. Então vale frisar algumas dessas medidas que ajudam a manter a produtividade mesmo trabalhando à distância:

• Se trabalhar de casa, avisar a todos que você não está de férias;
• Cuidar da sua saúde, beber água e se alongar de hora e hora;
• Desativar notificações de redes sociais;
• Acordar, almoçar e jantar nos mesmos horários da rotina de trabalho para manter a cabeça no modo “dia útil”;
• Trabalhar em local confortável, iluminado, ventilado e com espaço para os equipamentos (jamais trabalhar no sofá ou na cama);
• Se você se comprometeu com uma tarefa, deve cumpri-la, a menos que alinhe com o líder novo prazo;
• Se você for o líder do time, não deve pressionar a equipe além do necessário. Deve cobrar as entregas, mas suavizar o estresse facilita o convívio com as equipes e ajuda a aumentar a produtividade.

*Diego Moura Diehl, especialista em sistemas de alto volume e baixa latência, é scrum master da fábrica de software da Infosolo Informática

*Regianne Martins, pós-graduanda em Business Intelligence pela PUC-MG, é mentora de startups e scrum master na Infosolo Informática

*Sérgio Shizuo Suguino Júnior, pós-graduando em Engenharia de Requisitos de Software pela UniCeub, é scrum master e product owner na Infosolo Informática

Tudo o que sabemos sobre:

Artigocoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.