Líder comunicador tem papel de destaque na transformação digital e cultural das empresas

Líder comunicador tem papel de destaque na transformação digital e cultural das empresas

André Franco*

15 de maio de 2021 | 03h00

André Franco. FOTO: DIVULGAÇÃO

No momento atual, em meio a uma pandemia, os líderes e gestores tiveram que se reinventar para engajar suas equipes e manter a produtividade, mesmo em um cenário de desânimo em diversos pilares. Mas de acordo com a pesquisa Barômetro da Confiança 2021, da agência global de comunicação Edelman, para 61% dos brasileiros as empresas são as únicas instituições que confiam. Entretanto, para que essa confiança seja conquistada, tudo precisa começar dentro da empresa entre seus líderes e colaboradores. Uma pesquisa realizada pela empresa Dynamic Signal, mostra que cerca de 80% de seus colaboradores que participaram do levantamento, disseram que a ausência de comunicação acarreta em um ambiente estressante de trabalho.

Então, não é novidade que uma boa comunicação dentro de uma empresa é essencial para um ambiente menos estressante e mais harmônico. Considero importante que, em meio à transformação digital e cultural que as empresas vêm vivendo por conta da pandemia, os líderes encontrem formas de se comunicar e engajar com seus colaboradores. A cultura de trabalho já vinha mudando, os colaboradores querem se sentir ouvidos, serem protagonistas. Com o distanciamento social obrigatório, novos canais precisam dar espaço à participação horizontal dos colaboradores. Criar o senso de pertencimento e oportunidades de escuta ativa.

Além disso, ressalto que é necessário a importância de deixar claro para os colaboradores a cultura e os valores da empresa, para que se sintam mais parte do que estão vivendo e realizando. Os colaboradores devem ter acesso aos comunicados das suas lideranças e porta-vozes da empresa, para que tenham consciência dos aspectos positivos da corporação. Este alinhamento é de extrema importância para que fique claro aos colaboradores o propósito enraizado na corporação e possam passar adiante para os seus times. Esse entendimento pode resultar na melhor entrega de resultados, além de gerar mais produtividade quando o colaborador estiver imerso na cultura corporativa.

A liderança como forma de ligação entre empresa e colaborador

Para lidar com a nova geração de colaboradores, principalmente em meio a uma pandemia, é necessário adaptar-se à forma que eles têm maior propensão de consumir informação e se engajar.Acredito, que o uso de tecnologia e formatos que se assemelham com redes sociais podem ser boas alternativas, além é claro de atrair colaboradores, estas alternativas geram métricas de alcance, absorção e engajamento para os gestores. Isso porque é um local criado apenas para essa comunicação da empresa, com uma linguagem mais informal, para chegar em colaboradores de todos os cargos.

Uma boa dica que sugiro é encontrar os influenciadores internos da empresa, já que todas têm alguns colaboradores que são mais “populares”. “Esse colaborador pode ajudar tanto no processo de comunicação dentro da empresa, quanto engajar outros da equipe. A companhia pode levar esse colaborador para conhecer diferentes setores e unidades da empresa e incentivá-los a postar conteúdos em canais horizontais de comunicação interna, descentralizando a função que normalmente é atribuída a um único departamento, criando assim uma cultura de comunicação horizontal.

Para finalizar, considero importante também ressaltar que a comunicação da empresa pode andar de forma integrada com o RH. As redes sociais corporativas também tornaram possível entregar métricas aos gestores de RH, e ter uma visão clara do alcance, absorção e eficácia dos comunicados internos. Essa é uma ótima forma para que os líderes saibam exatamente onde precisam melhorar sua comunicação e o engajamento de colaboradores. Com a Covid-19, isso também é mais do que necessário para medir como está o interesse dos colaboradores em casa.

*André Franco é CEO do Dialog.ci

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.