Liberação de carga na importação: por que automatizar?

Liberação de carga na importação: por que automatizar?

Helmuth Hofstatter*

13 de fevereiro de 2021 | 02h15

Helmuth Hofstatter. FOTO: DIVULGAÇÃO

Em qualquer segmento, a utilização da tecnologia é imprescindível para automatizar processos e auxiliar nas tomadas de decisão. Da mesma forma, as operações de comércio exterior também podem ser muito beneficiadas com o uso de soluções tecnológicas — uma delas é a liberação de carga.

Imagine um mundo que não dependa de trabalhos manuais, repetitivos, mecânicos e um tanto quanto burocráticos. Nele, todas as falhas humanas — como falta de atenção e demora — podem ser eliminadas quase que por completo.

Parece impossível, não é mesmo? Porém, com a tecnologia disponível atualmente já é possível automatizar boa parte das tarefas mecânicas e rotineiras, inclusive no comércio exterior.

Com isso, acaba sobrando mais tempo para focar no que realmente interessa: no Core Business do seu negócio.

São várias as vantagens de se automatizar os processos de Importação, principalmente no que diz respeito à liberação de cargas.

Entre elas, podemos citar:

Diminuição do tempo do processo;

Diminuição do número de erros;

Garantia de qualidade;

Redução de mão-de-obra;

Melhora no tempo e qualidade de resposta para atendimento ao cliente;

Informações atualizadas 24h

Aumento da assertividade

Como todo e qualquer ser humano, estamos suscetíveis a erros, tanto por falta de atenção quanto por falta de conhecimento.

Além disso, existe um número limitado de processos que conseguimos executar em determinado período e tal performance varia de acordo com diversos fatores, afinal: somos humanos!

Automatizando o processo isso deixa de ser um problema, uma vez que ele seguirá um padrão pré-estabelecido.

Com a automatização, o robô lerá as informações e toda a documentação que está em outros sistemas para alimentar a si próprio, sem a intervenção humana — por exemplo, na hora de consultar um CE, cuja conferência é importantíssima para o registro da DI.

Em resumo, claro, é necessário um sistema bem parametrizado capaz de atender às necessidades reais e cotidianas do setor.

Qual empresa não precisa ganhar tempo, não é mesmo? Ou melhor: deixar de perder tempo.

Com as automatizações funcionando perfeitamente é possível economizar o tempo direcionado a trabalhos repetitivos e manuais, como por exemplo as consultas e análises de CE. Elas exigem tempo conferindo peso bruto, NCMs, consignatário, etc.

E é o próprio negócio que tende a ganhar com isso, permitindo focar naquilo que impulsiona o crescimento saudável da empresa, como definição de estratégias e melhorias.

Otimização de mão-de-obra

Para um terminal alfandegado, por exemplo, já é possível automatizar a consulta de status de processos ou novas Ordens de Serviço, reduzindo a necessidade de atenção dos profissionais para que fiquem apenas atualizando a tela só com o objetivo de checar se há novidades.

Até porque mesmo nessa checagem manual existe a possibilidade de ocorrência de erros ou de algo solicitado ficar para trás.

Sem contar que a otimização da mão-de-obra permite o direcionamento da equipe para tarefas mais estratégicas, uma vez que não há a necessidade de realizar afazeres mais operacionais.

Atualização automática 24 horas

Como robôs podem trabalhar 24 horas, 7 dias por semana, 365 dias no ano, isso significa que não será necessário esperar para ter acesso às informações.

Até mesmo consultar canal de parametrização de DI, horários de carregamento, de vistoria, a liberação de carga após o desembaraço fica mais simples. Com a automatização, você tem tudo isso a um clique.

Redução de custos

Menos pessoas realizando serviço “braçal” reduz o número de equipamentos exigidos para a execução do trabalho, que deixarão de ser necessários.

Sem contar a redução dos temíveis erros passíveis de multas. Menos erros significam menos dinheiro saindo desnecessariamente.

*Helmuth Hofstatter, fundador da LogComex

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.