Lewandowski, Renata Gil e José Levi debatem tensão entre os poderes nesta sexta

Lewandowski, Renata Gil e José Levi debatem tensão entre os poderes nesta sexta

O conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil, José Alberto Simonetti e o líder do MDB na Câmara dos Deputados, Baleia Rossi, também participam do seminário virtual transmitido a partir das 15h no canal da TV Conjur no YouTube

Redação

19 de junho de 2020 | 13h31

O ministro Ricardo Lewandowski, a juíza Renata Gil e o Advogado-Geral da União, José Levi. Fotos: Gabriela Biló/Estadão, Divulgação e Sergio Neves/Estadão

As relações entre os poderes constituídos durante e depois da pandemia serão discutidas, nesta sexta-feira, 19, em um seminário online transmitido a partir das 15h pelo canal da TV ConJur no YouTube.

Participam do debate o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, o advogado-Geral da União, José Levi Mello do Amaral Jr., a presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, Renata Gil, o conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil, José Alberto Simonetti e o líder do MDB na Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (SP). A mediação será de Otávio Luiz Rodrigues Jr. (USP e CNMP).

O recente ataque com fogos de artifício por um grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro contra o prédio do Supremo Tribunal Federal trouxe à tona, novamente, a conturbada relação entre os poderes Executivo e Judiciário, que ficou ainda mais tensa nesta semana.

A tensão é acentuada pelos inquéritos das fake news e dos atos antidemocráticos, ambos correndo no STF. O primeiro investiga ofensas e ameaças contra integrantes da Corte. O segundo, apura o financiamento e organização de manifestações que pedem o fechamento do Supremo e do Congresso. Nos dois casos, há suspeita de suposta participação de parlamentares bolsonaristas.

No Brasil, existem os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. E cada um desses poderes são ‘independentes e harmônicos’, de acordo com o artigo 2º da Constituição.

Contrabalancear os pesos é uma forma de impedir que um dos poderes se exceda. Cada país tem sistemas de freios e contrapesos, ou check and balances, em inglês, mecanismos para que um poder controle o outro.

No Brasil, esses mecanismos estão estabelecidos na Constituição de 1988. Antes disso, no período da ditadura (1964-1985), o poder Executivo se colocava acima dos outros dois.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.