Leia os argumentos da Lava Jato para investigar suposta propina a Lula presidente

Leia os argumentos da Lava Jato para investigar suposta propina a Lula presidente

Em petição de três páginas, força-tarefa do Ministério Público no Paraná sustenta que procedimento 'possui a específica finalidade de apurar as supostas vantagens indevidas recebidas pelo suscitante (Lula) de construtoras investigadas, materializadas, dentre outros, em imóveis em Atibaia/SP e em Guarujá/SP'

Redação

29 de fevereiro de 2016 | 19h38

lula-lavajato-pr

Onze procuradores da República que integram a força-tarefa da Operação Lava Jato afirmaram a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), que investigam ‘supostas vantagens indevidas’ a Luiz Inácio Lula da Silva no período em que ele exercia o mandato de presidente.

“Importante considerar ainda que parte das vantagens, que constituem o objeto da investigação foram supostamente auferidas pelos suscitante (Lula) durante o mandato presidencial, o que justifica por si só a competência federal”, sustentam os procuradores em petição à Corte máxima nesta segunda-feira, 29, em que defendem a manutenção, sob sua responsabilidade, da investigação envolvendo o petista e dois imóveis, um tríplex no Guarujá e um sítio em Atibaia.

lula-lavajato-pr-1

lula-lavajato-pr-2

lula-lavajato-pr-3

Segundo a força-tarefa, o procedimento de investigação ‘possui a específica finalidade de apurar as supostas vantagens indevidas recebidas pelo suscitante de construtoras investigadas na Operação Lava Jato, materializadas, dentre outros, em imóveis em Atibaia/SP e em Guarujá/SP’.

Mais conteúdo sobre:

AtibaiaGuarujáLulaSTFTríplex