Leia o relatório da PF que atribui corrupção, lavagem e ‘caixa 3’ a Maia

Leia o relatório da PF que atribui corrupção, lavagem e ‘caixa 3’ a Maia

Delegados Bernardo Guidali Amaral e Orlando Cavalcanti Neves Neto afirmam que a Odebrecht teria repassado valores ao Grupo Petrópolis (Cervejaria Itaipava), que fez doações aos políticos nas eleições de 2010 e 2014

Luiz Vassallo

27 de agosto de 2019 | 06h11

Reprodução do relatório

A Polícia Federal concluiu que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e seu pai, o ex-prefeito do Rio César Maia, cometeram crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e ‘caixa 3’. Os delegados Bernardo Guidali Amaral e Orlando Cavalcanti Neves Neto afirmam que a Odebrecht teria repassado valores ao Grupo Petrópolis (Cervejaria Itaipava), que fez doações aos políticos nas eleições de 2010 e 2014. O ministro relator da operação Lava Jato no Supremo, Edson Fachin, deu 15 dias para a procuradora-geral, Raquel Dodge, decidir se oferece ou não denúncia – ela pode pedir mais diligências.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Rodrigo Maia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: