Leia o parecer da AGU para o inquérito do Decreto dos Portos

Documentos produzidos pela Advocacia-Geral da União foram enviados ao ministros Luís Roberto Barroso, relator no Supremo da investigação que mira o presidente Temer

Da Redação

Atualizamos nossa política de cookies

Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.

A Advocacia-Geral da União pediu, nesta quarta-feira, 2, a juntada de documentos ao ministro do STF Luís Roberto Barroso nos autos de inquérito que investiga se o Decreto dos Portos, editado pelo presidente Michel Temer, teria beneficiado a empresa Rodrimar. Segundo a AGU, os documentos demonstram a legalidade do ato.

REQUERIMENTO

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

NOTA TÉCNICA

NOTA TÉCNICA 2

O inquérito que investiga o presidente Michel Temer defende que a medida serviria para, em troca de propina, beneficiar a Rodrimar, empresa concessionária no Porto de Santos, de propriedade de Antônio Celso Grecco, amigo de Temer, preso pela Polícia Federal na Operação Skala em março deste ano.

No âmbito da mesma operação, dois amigos de Temer também foram detidos: o advogado e ex-assessor do presidente José Yunes e o ex-coronel João Baptista Lima Filho.

 

A Advocacia-Geral da União pediu, nesta quarta-feira, 2, a juntada de documentos ao ministro do STF Luís Roberto Barroso nos autos de inquérito que investiga se o Decreto dos Portos, editado pelo presidente Michel Temer, teria beneficiado a empresa Rodrimar. Segundo a AGU, os documentos demonstram a legalidade do ato.

REQUERIMENTO

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

NOTA TÉCNICA

NOTA TÉCNICA 2

O inquérito que investiga o presidente Michel Temer defende que a medida serviria para, em troca de propina, beneficiar a Rodrimar, empresa concessionária no Porto de Santos, de propriedade de Antônio Celso Grecco, amigo de Temer, preso pela Polícia Federal na Operação Skala em março deste ano.

No âmbito da mesma operação, dois amigos de Temer também foram detidos: o advogado e ex-assessor do presidente José Yunes e o ex-coronel João Baptista Lima Filho.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato