Leia a ordem de buscas no QG de Doria

Leia a ordem de buscas no QG de Doria

Agentes da Polícia Federal acompanharam nesta sexta-feira, 19, o oficial da Justiça Eleitoral que vasculhou comitê do tucano no centro de São Paulo; força-tarefa confiscou, por ordem do juiz auxiliar da Propaganda Eleitoral Afonso Celso da Silva material de campanha em situação supostamente irregular

Redação

19 de outubro de 2018 | 13h56

Documento

O juiz auxiliar da Propaganda Eleitoral Afonso Celso da Silva determinou, liminarmente, a busca e apreensão ‘do material de campanha que não contenha o CNPJ do responsável pela sua confecção, quem efetuou a respectiva contratação, a respectiva tiragem e o nome dos candidatos a vice, no comitê de campanha’ de João Doria, que disputa o governo de São Paulo pelo PSDB nas eleições 2018.

A PF apreendeu material supostamente ilegal da campanha de Doria, inclusive o adesivo ‘Bolsodoria’ – o ex-prefeito paulistano apoia o candidato do PSL à Presidência.

O QG tucano fica instalado no velho edifício Joelma, no coração de São Paulo, à rua Santo Antônio, 184. O magistrado ordenou que a ‘diligência deverá ser executada em caráter sigiloso e acompanhada pela Polícia Federal, solicitando-se a esta todo o auxílio e apoio necessários’.

“Após o cumprimento da liminar, citem-se os representados para, querendo, apresentar defesa no prazo de dois dias, e inclusive se manifestar a respeito do pedido relativo à apresentação das notas fiscais relativas aos serviços gráficos e de transporte do referido material de campanha”, decretou o juiz.

COM A PALAVRA, JOÃO DORIA

NOTA À IMPRENSA

A Justiça Eleitoral cumpriu na manhã de sexta-feira, 19, mandado de busca e apreensão de material de campanha, supostamente em desacordo com a Lei Eleitoral, ao acatar representação de campanha adversária.

A Coligação Acelera São Paulo está organizando um grande adesivaço em todo o Estado de São Paulo para o sábado, 20. Durante a semana, detectou que numa pequena fração dos impressos não havia a menção ao CNPJ. A distribuição desse lote foi suspensa. O material ficou retido na sede do Comitê eleitoral.

O adesivaço será realizado no sábado e a campanha está segura de que o material que distribui está perfeitamente adequado a todos os requisitos da legislação eleitoral.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Tudo o que sabemos sobre:

João Doriaeleições 2018Polícia Federal

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.