Leia a decisão de Bretas que mandou prender procurador do Estado do Rio por propina no Metrô

Leia a decisão de Bretas que mandou prender procurador do Estado do Rio por propina no Metrô

Renan Saad foi preso temporariamente nesta segunda-feira, 1, no âmbito de investigação sobre suposta propina de R$ 1,2 milhão em obras da Linha 4 do Metrô carioca

Fausto Macedo e Luiz Vassallo

01 de julho de 2019 | 16h30

O juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio, afirmou que testemunhos e obtenção de provas ficariam ‘complicados’ caso o procurador do Estado Renan Saad ficasse em liberdade. Ele foi preso temporariamente nesta segunda-feira, 1, no âmbito de investigação sobre suposta propina de R$ 1,2 milhão em obras da Linha 4 do Metrô carioca.

Documento

Bretas destaca, em decisão, que o ‘Ministério Público entende necessária a oitiva de integrantes do escritório de Saad, ou seja, funcionários diretamente subordinados a ele; sendo, pois, provas complicadas de serem recolhidas com Renan em liberdade’.

“Nessa toada, a imprescindibilidade da medida para a investigação é evidente, assegurando, dentre outros efeitos, que todas as testemunhas sejam ouvidas pela autoridade policial sem possibilidade de prévio acerto de versões entre si ou sofram pressão por parte do investigado”, anotou.

Tendências: