No WhatsApp do rei do ônibus, ‘Renan chega às 12h30’

No WhatsApp do rei do ônibus, ‘Renan chega às 12h30’

Procuradoria no Rio pede ao juiz federal Marcelo Bretas autorização para enviar textos apreendidos no celular do empresário Jacob Barata Filho ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão antitruste do governo federal

Julia Affonso

28 Agosto 2017 | 12h31

Jacob Barata Filho. Foto: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

O Ministério Público Federal, no Rio, pediu ao juiz federal Marcelo Bretas autorização para enviar uma conversa apreendida no celular do empresário Jacob Barata Filho (Cade) ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão antitruste do governo federal. Para a força-tarefa da Operação Lava Jato, a troca de mensagens ‘deixa claro’ que Jacob ‘vem praticando atos de cartel’.

Documento

Documento

“O Ministério Público Federal requer autorização para extrair cópia do relatório de extração do telefone de Jacob Barata Filho para instauração de procedimento para apurar os fatos, bem como sua remessa ao Cade”, requereu a força-tarefa.

O interlocutor do ‘rei do ônibus’ foi identificado como Paulo Porto. Seu número de telefone tem o código 85 relacionado a cidades do Ceará.

A troca de mensagens cita um certo ‘Renan’, não identificado ainda. Os investigadores suspeitam que ‘Sd’, sigla mencionada no texto, quer dizer Senado.

Às 8h30 de 31 de maio de 2017, Jacob escreve. “Paulo, só poderei ir no voo de 13:40.
Posso encontrar vcs no restaurante às 15:00s ou no aeroporto às 14:40. Teremos depois uma reunião c o Joaquim p acertarmos o negócio da Penha.”

Paulo responde. “Jacob, Renan chega às 12:30 e sai para outra reunião às 14:30.”

‘PPorto’ prossegue. “Estou no Sd. Se quiser trato com Renan… não tem jeito de participar?”

Às 8h34, Paulo escreve ainda. “Te aguardo no Fogo de Chão.”

Jacob responde. “Converse c ele, a ideia é que o G7 tenha um pacto de não agressão
É a única forma de combatermos os novos entrantes e garantirmos uma licitação tranquila na Bahia.”

O ‘rei do ônibus’ ainda afirma. “Diga ao Renan q fico devendo o almoço num outro dia q ele puder. Abs.”

Jacob Barata Filho foi preso em julho na Operação Ponto Final, que capturou a cúpula dp Transporte no Rio. Em agosto, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liberdade a ele e a outros oito alvos da Ponto Final.

COM A PALAVRA, A DEFESA DE JACOB

O advogado Rodrigo Mudrovitsch, que representa o empresário Jacob Barata Filho, rechaçou enfaticamente a divulgação do conteúdo das correspondências de seu cliente. “A defesa de Jacob Barata repudia o vazamento de conteúdos desconexos de processos que tramitam em sigilo e a cujos conteúdos ainda não teve acesso.”

 Mudrovitsch observa que a sigla ‘Sd’ mencionada na mensagem que a Lava Jato resgatou significa Santos Dumont, em alusão ao aeroporto do Rio, e não Senado.

 “Se fosse Senado, o Ministério Público Federal estaria recomendando a remessa (da correspondência de Jacob Barata) para a Procuradoria-Geral da República. Acho que o próprio Ministério Público sabe que ‘Sd’ significa Santos Dumont.”

Mais conteúdo sobre:

operação Lava Jato