Lava Jato diz que filho ‘operador’ de Lobão tem R$ 44 mi de patrimônio e ocultou R$ 6,4 mi na Suíça

Lava Jato diz que filho ‘operador’ de Lobão tem R$ 44 mi de patrimônio e ocultou R$ 6,4 mi na Suíça

Márcio Lobão, filho do ex-ministro e ex-senador Edison Lobão (MDB), foi preso nesta segunda, 10, na Operação Galeria, que mira supostas propinas na Transpetro e na Usina de Belo Monte

Luiz Vassallo

11 de setembro de 2019 | 10h00

Reprodução de trecho de pedido de prisão contra Márcio Lobão

A força-tarefa da Operação Lava Jato apontou operações financeiras suspeitas do filho do ex-senador Edison Lobão (MDB), preso nesta segunda-feira, 10, no âmbito de sua 65ª fase, a Galeria.

A investigação mira crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a Transpetro, subsidiária da Petrobras, e a Usina Hidroelétrica de Belo Monte.

Segundo a PF, Edison Lobão (MDB/MA) , ex-senador e ex-ministro de Minas e Energia (governos Lula e Dilma), e seu filho Márcio teriam recebido, entre 2008 e 2014, cerca de R$ 50 milhões em propinas.

De acordo com a força-tarefa, ‘em decorrência de todas estas operações de lavagem de dinheiro que efetuou depois que seu pai assumiu o Ministério de Minas e Energia, Márcio Lobão fez com que seu patrimônio declarado perante a Receita Federal saltasse de R$ 8.903.495,91, em 31/12/2007, para R$ 44.187.850,79, em 31/12/2017′.

A força-tarefa também aponta que Márcio Lobão, até março de 2017, não havia declarado depósitos e aplicações financeiras em contas bancárias na Suíça’ .

Os procuradores elencam as transações:

(i) contas mantidas nas instituições financeiras Julius Bär e Credit Suisse, ambas na Suíça, que totalizavam, ao final de 2015, em Reais, o montante de R$ 6.447.808,92;

(ii) 37 (trinta e sete) aplicações em ações e fundos de investimentos nas instituições financeiras Julius Bär e Credit Suisse, ambas na Suíça, que totalizavam, ao final de 2015, em Reais, o montante de R$ 553.298,01.

Os procuradores ressaltam que ’18 (dezoito) dias depois de ter sido alvo de buscas e apreensões Márcio Lobão encaminhou para a Receita Federal, via programa Receitanet, retificações de suas Declarações de Imposto de Renda relativas aos anos calendários de 2012, 2013, 2014 e 2015′.

“As retificações tiveram por objetivo incluir depósitos em conta-corrente e aplicações financeiras na Suíça, que até então não haviam sido declaradas ao Fisco”, afirmam os procuradores.

Além de quadros, que estão na mira da PF, a Lava Jato também identificou ‘ao menos 104 depósitos sob as descrições “DEPÓSITO EM DINHEIRO” ou “DEPÓSITO DINHEIRO” nas contas bancárias de Márcio Lobão e de sua esposa Marta Lobão’. “O montante total desses depósitos soma R$ 2.121.827,00”.

COM A PALAVRA, A DEFESA

“A defesa de Márcio Lobão obteve recentemente acesso ao conteúdo da decisão judicial que determinou sua prisão. Tratam-se de fatos antigos, que envolvem investigações diferentes, sobre as quais não houve nenhuma ação dos investigados a impedir ou dificultar o trabalho do órgão de acusação. Pelo contrário, a defesa, sempre que intimada, prontificou-se a prestar esclarecimentos e colaborar com a Justiça. Diante disto, a decretação de prisão mostra-se desnecessária e viola princípios básicos do direito, que devem ser restabelecidos pelo Poder Judiciário.”

 

Tudo o que sabemos sobre:

Edison Lobãooperação Lava Jato

Tendências: