Lava Jato devolve R$ 55 mi recuperados em delações para Petrobras e Transpetro

Lava Jato devolve R$ 55 mi recuperados em delações para Petrobras e Transpetro

Montante estava depositado em conta judicial e é referente a acordos de colaboração premiada, repatriações de valores e renúncias voluntárias

Redação

21 de maio de 2020 | 16h38

O Ministério Público Federal no Paraná (MPF-PR). Foto: Google Maps

Atendendo a pedido da força-tarefa da Lava Jato, juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, determinou a transferência de R$ 55.556.559,64 para os cofres da Petrobras e da Transpetro. O montante estava depositado em conta judicial e é referente a acordos de colaboração premiada, repatriações de valores e renúncias voluntárias.

Documento

A decisão foi dada em fevereiro e no mês seguinte, março, os bancos foram oficiados sobre as transferências. O despacho prevê e destinação integral dos valores acordados a título de reparação, perdimento e multa às empresas vítimas dos ilícitos narrados pelos colaboradores, sendo R$ 54.822.725,03 encaminhados à Petrobras e R$ 733.834,61 para a Transpetro.

As informações foram divulgadas pela Procuradoria.

Segundo a força-tarefa, do montante restituído aos cofres das estatais, R$ 44.438.844,60 foram devolvidos por investigados no âmbito de doze acordos de colaboração. Em quatro dos casos, houve repatriamento de valores houve além do pagamento de multa.

O restante, R$ 11.117.715,04, corresponde a uma parte dos valores bloqueados em três contas bancárias mantidas pelo ex-gerente da Petrobras Glauco Colepicolo Legatti em nomes de offshores na Suíça.

Ao longo da operação, já foram bloqueados e repatriados R$ 55.588.575,21 de contas do investigado. Os outros R$ 44.470.860,17 foram devolvidos à Petrobras em agosto de 2018.

R$ 4 bilhões

A força-tarefa da Lava Jato afirma que já recuperou mais de R$ 4 bilhões por meio de acordos de colaboração premiada, acordos de leniência e renúncias voluntárias de valores de réus ou condenados.

De tal montante, R$ 3.023.990.764,92 foram destinados à Petrobras, R$ 416.523.412,77 aos cofres da União e R$ 59 milhões para a 11ª Vara da Seção Judiciária de Goiás – decorrentes de ilícitos que vitimaram a estatal Valec.

Além disso, o Ministério Público Federal no Paraná indica que dos valores recuperados, R$ 570 milhões foram utilizados para subsidiar a redução dos pedágios no Paraná e R$ 150 milhões vêm sendo investidos em obras no Estado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.