Lava Jato 80: leia a decisão de Gabriela Hardt e o pedido de buscas contra empresário suspeito de operar propina para ex-tesoureiro do PT

Lava Jato 80: leia a decisão de Gabriela Hardt e o pedido de buscas contra empresário suspeito de operar propina para ex-tesoureiro do PT

Juíza da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba autorizou buscas em endereços ligados a Cláudio Mente por suspeita de recebimento, no exterior, de pagamento feito por estaleiro contratado pela Petrobras e supostamente solicitado por João Vaccari Neto

Rayssa Motta e Fausto Macedo

11 de fevereiro de 2021 | 10h15

Agentes fazem buscas na capital paulista e em Pindamonhangaba. Foto: Reprodução/Polícia Federal

Aberta na manhã desta quinta-feira, 10, Operação Pseudeia, 80ª fase da Lava Jato desde seu surgimento e a primeira depois que a força-tarefa chegou ao fim como equipe isolada, foi autorizada pela juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba.

Documento

Documento

A ação colocou policiais federais para fazer buscas em endereços comerciais e residenciais, na cidade de São Paulo e em Pindamonhangaba, no interior paulista, ligados ao empresário Cláudio Augusto Mente. Ele entrou na mira do Ministério Público Federal (MPF) na esteira da delação do engenheiro polonês Zwi Skornicki, representante do estaleiro Keppel Fels, que prestava serviços para a Petrobras.

Cruzando dados de fases anteriores e de materiais enviados por autoridades suíças para confirmar as informações prestadas pelo colaborador, os investigadores concluíram que, ano ano de 2013, o estaleiro pagou propinas ao empresário, solicitadas pelo então tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, na ordem de um milhão de dólares, em troca de benefícios em contratos com a estatal. A suspeita é a de que Claudio Mente tenha sido apenas um operador dos pagamentos, depositados em contas de offshores controladas por ele no exterior.

“Os recursos repassados por Zwi Skornicki a Claudio Mente tinham origem na corrupção realizada em contratos firmados com a Petrobras. O destino dos recursos, por outro lado, ainda não está devidamente delimitado”, diz um trecho da petição enviada pelo MPF à Justiça.

Investigação é desdobramento da Operação Acarajé, aberta em 2016, que pegou marqueteiros do PT. Foto: Reprodução/Polícia Federal

Na avaliação da juíza, o quadro probatório reunido pelos investigadores é ‘mais do que suficiente’ para justificar as buscas – que, na avaliação dela, são ‘fundamentais’ para o aprofundamento das investigações.

Além das buscas, Gabriela Hardt determinou o bloqueio de R$ 5,2 milhões. O empresário pode responder por lavagem de dinheiro, corrupção e crimes contra o sistema financeiro nacional.

COM A PALAVRA, CLAUDIO MENTE

A reportagem busca contato com o empresário. O espaço está aberto para manifestação (rayssa.motta@estadao.com ou fausto.macedo@estadao.com).

COM A PALAVRA, JOÃO VACCARI NETO

A reportagem entrou em contato com o advogado do ex-tesoureiro e aguarda resposta.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.