Justiça vai decidir se abre ação criminal contra 14 acusados por fraudes no Ministério do Trabalho

Mateus Coutinho

17 Janeiro 2014 | 15h48

Denúncia da Procuradoria da República aponta corrupção, peculato e lavagem de dinheiro; veja a lista dos denunciados

por Fausto Macedo

A Justiça Federal em São Paulo vai decidir se abre processo criminal contra os 14 acusados de envolvimento em esquema de fraudes e desvios de recursos em convênios do Ministério do Trabalho e Emprego.

Denúncia do Ministério Público Federal atribui aos investigados formação de quadrilha,corrupção ativa, lavagem de dinheiro, peculato e falsidade ideológica.

A ONG Centro de Atendimento ao Trabalhador (Ceat) é apontada como o carro chefe de organização criminosa que teria desviado R$ 47 milhões, entre 2008 e 2010.

A Justiça Federal analisa a denúncia contra os 14 investigados, entre gestores da ONG e integrantes de empresas que prestavam serviços ao Centro de Atendimento ao Trabalhador. Todos negam desvios.

1) Jorgette Maria de Oliveira, presidente da ONG.
2) PadreLício de Araújo Vale, gestor da ONG.
3) Gleide Santos Costa, ex-assessor da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego do Ministério do Trabalho, entre 2008 e 2013.
4) Ana Maria Cesar Franco, gestora da ONG.
5) Alessandro Rodrigues Melo.
6) Daniel David Xavier D’Oliveira.
7) Célio Oliveira Chagas.
8) Fabio Colella.
9) Newton de Almeida Pinho.
10) Laerte Parolo Costa.
11) Cleusa Zuanon.
12) Hamilton Sutto.
13) Ricardo Frederico de Jesus Teixeira Manzano.
14) Telma Cecilia Peres Ramos, gerente financeira da Ibratec.