Justiça marca interrogatório dos empreiteiros da Lava Jato

Executivos de seis das maiores construtoras do País serão ouvidos em maio nas ações por corrupção e lavagem de dinheiro na Petrobrás

Redação

06 Abril 2015 | 16h33

Por Ricardo Brandt, Julia Affonso e Fausto Macedo

A Justiça Federal no Paraná marcou os interrogatórios dos acusados em seis ações penais propostas pelo Ministério Público Federal em dezembro de 2014 contra dirigentes das empreiteiras Camargo Corrêa, UTC Engenharia, OAS, Mendes Júnior, Engevix e Galvão Engenharia por suposta participação em esquemas de corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Petrobrás.

Os empreiteiros foram presos no dia 14 de novembro de 2014, quando a Polícia Federal e o Ministério Público Federal deflagraram a Juízo Final, sétima fase da Operação Lava Jato. A Juízo Final mirou o braço empresarial do esquema de propinas na estatal petrolífera.

Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente da UTC. Foto: Marcos Bezerra/Futura Press

Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente da UTC. Foto: Marcos Bezerra/Futura Press

Os dois principais delatores da Lava Jato, Paulo Roberto Costa – ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás – e o doleiro Alberto Youssef serão interrogados em audiência conjunta nas ações penais nos dias 28 e 29 de abril. Nos dias 4, 6, 8, 11 e 13 de maio serão ouvidos os demais acusados. Também entre eles o ex-diretor de Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró e Fernando Antônio Falcão Soares, este apontado como lobista do PMDB na estatal.

Desde o início das ações penais, foram ouvidas dezenas de testemunhas em outros Estados, a maioria por videoconferência. Atualmente, ainda estão sendo ouvidas as últimas testemunhas de defesa.

O interrogatório dos acusados é o último ato de instrução no processo penal, sendo seguido pelos debates das partes e pelo julgamento.

Gérson Almada afirmou que Dirceu fez 'lobby internacional' para a engevix. Foto: Carol Carquejeiro/Valor

Gérson Almada, da Engevix. Foto: Carol Carquejeiro/Valor

VEJA OS EMPREITEIROS DENUNCIADOS PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

Sérgio Cunha Mendes, vice-presidente da Mendes Júnior

Rogério Cunha de Oliveira, diretor da área de Óleo e Gás da Mendes Júnior

Ângelo Alves Mendes, diretor vice-presidente da Mendes Júnior

Alberto Elísio Vilaça Gomes, representante da Mendes Júnior nos contratos com a Petrobrás

José Humberto Cruvinel Resende, gerente da Mendes Júnior

Ricardo Ribeiro Pessôa, presidente da UTC Engenharia

João de Teive e Argollo, funcionário da UTC Engenharia

Sandra Raphael Guimarães, funcionária da UTC Engenharia

Dalton dos Santos Avancini, executivo da Camargo Corrêa

João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa

Eduardo Hermelino Leite, “Leitoso”, vice -presidente da Camargo Corrêa

Marcio Andrade Bonilho, presidente do Grupo Sanko

José Aldemário Pinheiro Filho, vulgo “Léo Pinheiro”, presidente da OAS

Agenor Franklin Magalhães Medeiros, diretor-presidente da área internacional da OAS

Mateus Coutinho de Sá Oliveira, diretor financeiro da OAS Petróleo

José Ricardo Nogueira Breghirolli, executivo da OAS

Fernando Augusto Stremel Andrade, funcionário da OAS

João Alberto Lazzari, representante da OAS

Gerson de Mello Almada, vice-presidente da Engevix Engenharia

Carlos Eduardo Strauch Albero, diretor técnico da Engevix Engenharia

Newton Prado Junior, diretor técnico da Engevix Engenharia

Luiz Roberto Pereira, ex-diretor da Engevix Engenharia

Erton Medeiros Fonseca, diretor presidente da Divisão de Engenharia Industrial da Galvão Engenharia

Jean Alberto Luscher Castro, diretor presidente da Galvão Engenharia

Dario de Queiroz Galvão Filho, presidente da Galvão Engenharia

Eduardo de Queiroz Galvão, diretor presidente da Galvão Engenharia