Justiça manda cabeleireira indenizar mulher por falha em escova progressiva

Justiça manda cabeleireira indenizar mulher por falha em escova progressiva

Cliente afirmou no processo que 'restaram poucos fios' de cabelo

Redação

27 Abril 2015 | 19h00

Por Julia Affonso

O Juizado Especial Cível de Itanhaém, no litoral de São Paulo, condenou uma cabeleireira a pagar R$ 6 mil de indenização a uma cliente que perdeu parte dos cabelos após fazer escova progressiva, técnica de alisamento dos fios. Cabe recurso da decisão. A informação foi divulgada nesta segunda-feira, 27, pelo site do Tribunal de Justiça de São Paulo.

No processo, a cliente afirmou que, após a aplicação do produto no salão da cabeleireira, ‘sentiu muitas dores de cabeça’. Minutos depois, segundo ela, os cabelos começaram a cair e ‘restaram poucos fios’.

Foto ilustrativa: Flavio Takemoto/Free Images

Foto ilustrativa: Flavio Takemoto/Free Images

Na decisão, a juíza Helen Cristina de Melo Alexandre explicou que o fornecedor de produtos responde pelos danos que causar ao consumidor, independente de culpa. “Cabe à requerida zelar e ter as devidas cautelas com os serviços prestados aos seus clientes, propiciando a segurança necessária para tanto. Houve, portanto, falha do serviço, ensejando a responsabilidade da ré”, disse a juíza.

A mulher também alegou que, após a queda do cabelo, precisou pedir demissão do emprego. A magistrada, no entanto, disse que ela não provou a questão.

“Deixou a autora de trazer à luz prova de qualquer espécie nesse sentido, não bastando, para tanto, a mera alegação sem outros elementos de convicção”, apontou Helen Cristina de Melo Alexandre.

Mais conteúdo sobre:

Escova progressivaTJ-SP