Justiça manda blogueira se defender em ação do PT

Adriana Vandoni, economista, afirmou em seu blog que partido do governo “formou uma quadrilha”

Redação

13 de outubro de 2014 | 15h11

Por Fausto Macedo

Em sua caixa de correspondências, a economista Adriana Vandoni, de Cuiabá (MT), recebeu quinta feira, 9, carta de citação judicial para – na situação de “parte requerida” -, apresentar defesa em processo que o PT move contra ela por “danos morais”.

O partido pede a condenação de Adriana a uma indenização de R$ 50 mil porque em seu blog Prosa & Política, no dia 20 de março de 2014 – três dias depois da deflagração da Operação Lava Jato – ela divulgou um vídeo em que criticou a compra da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, negócio que provocou prejuízo superior a US$ 1 bilhão à Petrobrás.

“Filiem-se ao PT, mas roubem muito”, disse Adriana, na ocasião. “Roube bilhões e bilhões de dólares.””

A citação, expedida pela 7.ª Vara Cível de Cuiabá (MT), chegou para Adriana no mesmo dia em que o ex-diretor de Abastecimento da estatal petrolífera, Paulo Roberto Costa, depôs à Justiça Federal em Curitiba (PR) e apontou a existência de suposto esquema de propinas para partidos políticos, entre os quais o PMDB, o PP e o PT.

Segundo Costa, 3% sobre o valor de contratos de algumas diretorias da Petrobrás eram destinados ao partido do governo.

“A citação estava na caixa de correspondências, sem assinatura de ‘recebido’”, relata a blogueira. “ironia do destino, mas exatamente no dia em que veio a público a gravação do depoimento de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobrás, dizendo que parte da propina cobrada de fornecedores da estatal era direcionada para atender ao PT e foi usada na campanha eleitoral de 2010, recebo através do correio a citação no processo em que o PT nacional me cobra R$ 50 mil, por dano moral, por eu ter dito que o partido formou uma quadrilha.”

Ela tem 15 dias para apresentar defesa.

Embora sob pressão, Adriana Vandoni não recua e volta à carga. “É, vai ver eu precise mesmo pagar essa quantia como penitência por ter desmerecido a capacidade do Partido dos Trabalhadores. Eles não formaram uma quadrilha. Eles formaram uma máfia. Pelo depoimento dado pelo ex-diretor da Petrobrás, só a parte que veio ao nosso conhecimento agora pela imprensa, isso não é um partido, é uma organização mafiosa.”

Na ação, a defesa do PT argumenta. “É justamente a reputação e renome do autor (PT), prejudicados pelas afirmações da ré (Adriana), colocando a pessoa jurídica em situação de absoluta desconfiança e descrença perante seus associados, filiados e simpatizantes, o que traz, por óbvio, imenso abalo em sua honra objetiva.”

“Os comentários da ré demonstram de forma incontroversa a intenção, clara e gratuita, de macular a trajetória do Partido dos Trabalhadores , nascendo o ato ilícito indenizável”, sustenta o advogado Luiz José Bueno de Aguiar.

ASSISTA AO VÍDEO EM QUE A BLOGUEIRA ADRIANA VANDONI CRITICA O PT E A COMPRA DE PASADENA

Tudo o que sabemos sobre:

JustiçaPT