Justiça libera R$ 500 mi congelados da Vale por tsunami de lama em Brumadinho para combate ao coronavírus

Justiça libera R$ 500 mi congelados da Vale por tsunami de lama em Brumadinho para combate ao coronavírus

Decisão permite governo de Minas Gerais a sacar o valor e investir em medidas para o controle da pandemia e tratamentos à população

Redação

01 de abril de 2020 | 07h30

O juiz Elton Pupo Nogueira, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Belo Horizonte, liberou o saque de R$ 500 milhões que estavam em conta congelada da Vale para ações voltadas ao combate do novo coronavírus. A medida libera o governo de Minas Gerais a sacar o valor para investir em medidas de controle da pandemia e tratamento à população.

A decisão foi tomada nos autos do processo que apura a extensão dos danos causados pelo rompimento da barragem de rejeitos da mineradora em Brumadinho (MG), em janeiro do ano passado. O acidente matou 259 pessoas e deixou outras 11 desaparecidas. O pedido pela liberação do dinheiro foi feito pela Advocacia-Geral do Estado junto com o Ministério Público estadual e a Defensoria Pública mineira.

Barragem da Vale em Brumadinho rompeu no dia 25 de janeiro. Foto: Douglas Magno/AFP

Os R$ 500 milhões serão liberados a título de indenização. Conforme o juiz Nogueira pontuou, ainda é preciso avaliar a extensão completa dos danos causados em Brumadinho, mas é ‘compreensível’ que as partes afetadas procurem soluções parciais devido à crise do coronavírus.

“A antecipação pretendida deve ser considerada para danos à saúde ou quaisquer outros danos decorrentes do evento que causou mortes, poluição, danos econômicos e outros, consoante a condenação”, registou o juiz Elto Pupo Nogueira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.