Justiça libera carros de luxo de doleiro da Lava Jato

Tiguan e Volvo, apreendidos em março, serão usados pelas filhas de Alberto Youssef

Redação

17 de outubro de 2014 | 05h00

Por Fausto Macedo e Mateus Coutinho

Foto: Geraldo Magela/Estadão - 30.01.2006

Foto: Geraldo Magela/Estadão – 30.01.2006

A Justiça Federal liberou dois carros de luxo da família do doleiro Alberto Youssef, alvo da Operação Lava Jato. Uma Tiguan 2.0 turbo e um Volvo XC 60 estavam retidos desde março, quando a Polícia Federal deflagrou a missão de combate a um super esquema de lavagem de dinheiro, corrupção e pagamento de propinas a políticos.

Os veículos foram liberados a pedido da defesa de Youssef. O criminalista Antonio Figueiredo Basto, que defende o doleiro nas ações da Lava Jato, requereu à Justiça que autorizasse a devolução da Tiguan e do Volvo para uso das duas filhas de Youssef.

O advogado argumentou que os carros estavam praticamente abandonados, expostos à deterioração. As filhas de Youssef foram nomeadas depositárias dos carros.

O criminalista Figueiredo Basto avalia que a decisão judicial que liberou os carros de Youssef “é um caminho natural” diante da extensa colaboração que seu cliente vem fazendo. “Aos poucos vamos conseguindo superar pequenas barreiras até que a gente consiga restituir a liberdade de Alberto Youssef, que é o nosso objetivo.”

Youssef está fazendo delação premiada perante uma força tarefa do Ministério Público Federal. Desde o início de outubro ele presta depoimentos quase diariamente. A pauta inclui revelações sobre corrupção na Petrobrás – o ex-diretor de Abastecimento da estatal petrolífera, Paulo Roberto Costa já fez delação e apontou pelo menos 32 parlamentares que teriam recebido propinas.

Os relatos de Youssef consomem em média de 6 a 7 horas todos os dias. A cada informação que presta ele enriquece com documentos. Não há previsão para o término da sucessão de depoimentos de Youssef.

Tudo o que sabemos sobre:

Alberto Youssefoperação Lava Jato