Justiça diz não a Lula e mantém interrogatório da Zelotes para 20 de fevereiro

Justiça diz não a Lula e mantém interrogatório da Zelotes para 20 de fevereiro

Ricardo Leite, juiz da 10.ª Vara da Justiça Federal de Brasília, negou recurso da defesa do ex-presidente, que pretendia adiar depoimento no processo em que petista é acusado de editar MP para conceder benefícios fiscais a montadoras

Luiz Vassallo e Fausto Macedo

18 Janeiro 2018 | 21h51

Lula. Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

A Justiça Federal em Brasília negou pedido da defesa de Lula e manteve para o próximo dia 20 de fevereiro o interrogatório do ex-presidente no processo da Operação Zelotes – no qual o petista é acusado de editar a MP 471 para supostamente favorecer com benefícios fiscais montadoras das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

A informação sobre a decisão judicial que frustra tentativa de Lula de adiar seu interrogatório foi publicada pela repórter Camila Bomfim, da TV Globo, e confirmada pela reportagem do Estado.

No próximo dia 24, no âmbito da Operação Lava Jato, o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) A decisão é do juiz Ricardo Leite, da 10.ª Vara Federal de Brasília. Ele também manteve o interrogatório para o mesmo dia do filho do ex-presidente, Luís Cláudio Lula da Silva.

Pai e filho são formalmente réus no processo da Zelotes por tráfico de influência, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

O petista e seu filho são também acusados no episódio da compra de caças suecos pelo governo Dilma, em que Lula teria praticado tráfico de influência em troca de R$ 2,5 milhões pagos a uma empresa de Luís Cláudio

A defesa do ex-presidente havia pedido adiamento da audiência, sob alegação de que interrogatórios não podem ser marcados até que testemunhas residentes fora do País sejam ouvidas.

Lula e o filho, por meio de seus advogados, negam envolvimento em atos ilícitos.

Mais conteúdo sobre:

Lulaoperação Lava Jato