Justiça decreta prisão de suspeitos do assassinato de fundador da Mancha

Justiça decreta prisão de suspeitos do assassinato de fundador da Mancha

Moacir Bianchi foi fuzilado com cerca de 20 tiros no bairro do Ipiranga na madrugada do dia 2

Fausto Macedo e Julia Affonso

10 Março 2017 | 19h41

Sede da Mancha Alviverde. 03/03/2017 - Foto: MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS

Sede da Mancha Alviverde. 03/03/2017 – Foto: MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS

A Justiça de São Paulo decretou nesta sexta-feira, 10, a prisão temporária dos suspeitos pelo assassinato de Moacir Bianchi, fundador da torcida organizada Mancha Alviverde. Moacir Bianchi foi fuzilado com cerca de 20 tiros no bairro do Ipiranga na madrugada do dia 2.

Trabalho conjunto do Ministério Público de São Paulo e do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa levou à decretação da prisão temporária de dois dos suspeitos.

A partir do depoimento de testemunhas e do monitoramento dos veículos usados no crime, chegou-se ao nome do suposto executor do delito, que atirou várias vezes contra Bianchi. Na mesma investigação, também se esclareceu quem estaria ao volante do veículo que parou atrás do carro de Bianchi na emboscada.

Segundo a Promotoria, as investigações prosseguem visando a apurar a participação de mais suspeitos no assassinato. O promotor de Justiça Tomás Ramadan solicitou à Polícia Civil que reúna mais elementos para esclarecer, de forma definitiva, qual foi a motivação do crime, que ocorreu logo após uma reunião na sede da torcida.

Na ocasião, houve uma forte discussão entre o suposto executor e Bianchi, segundo relatos de testemunhas.