Justiça decreta prisão de ex-deputado por omissão de bens

Justiça decreta prisão de ex-deputado por omissão de bens

Zuza Abdul Massih (ex-PRP) foi condenado a três anos e três meses, acusado de sonegação de impostos; ele não foi localizado pela PF porque 'está viajando'

Fausto Macedo e Julia Affonso

21 Junho 2016 | 03h30

Zuza Abdul. Foto: Alesp

Zuza Abdul. Foto: Alesp

O juiz federal Luiz Antonio Ribeiro Marins, da 2.ª Vara Federal de Marília (SP), mandou expedir mandado de prisão definitiva contra Joseph Zuza Somaan Abdul Massih, de 63 anos, ex-deputado estadual por dois mandatos (1998/2006).

A decisão atende pedido do Ministério Público Federal e foi tomada no dia 1.º de junho – informou em seu site o MPF.

(Processo n.º 0107610-95.2006.403.0000; a tramitação pode ser consultada em http://www.jfsp.jus.br/foruns-federais/).

Segundo o Ministério Público Federal, o ex-deputado perdeu todos os recursos que apresentou no Tribunal Regional Federal da 3.ª Região, no Superior Tribunal de Justiça e no Supremo Tribunal Federal.

Zuza Abdul Massih foi condenado a uma pena de 3 anos e 3 meses de prisão e multa pelo crime de sonegação de impostos, por omissão de bens na declaração -artigo 1.º da Lei 8.137/90.

A pena foi determinada acima do mínimo por causa da incidência do artigo 12 da Lei 8.137/90, quando o montante sonegado implica em ‘dano à coletividade em virtude de seu valor elevado’. A prisão deve ser cumprida em regime semiaberto.

A Polícia Federal esteve no endereço de Joseph Zuza Somaan Abdul Massih, mas foi informada que ele está viajando.

Na página da Assembleia Legislativa na internet, Zuza Somaan Abdul Massih se diz empresário e neto de imigrantes libaneses que vieram para o Brasil em 1885. Em Marília, ele foi presidente por mais de 15 anos do Clube Monte Líbano. Em 1996, elegeu-se vereador, ‘com a maior votação do município’. Em 1998, disputou uma cadeira de deputado na Assembleia Legislativa de São Paulo pelo PRP, elegendo-se como único representante do partido.

A reportagem não localizou o ex-deputado. O espaço está aberto para sua manifestação.

Mais conteúdo sobre:

Justiça FederalZuza Abdul Massih