Justiça condena policial vereador que coagiu testemunha, emprestou espingarda, dirigiu bêbado e capotou viatura

Justiça condena policial vereador que coagiu testemunha, emprestou espingarda, dirigiu bêbado e capotou viatura

Lucas Sernajoto (MDB) pegou nove anos, cinco meses e 28 dias de reclusão por ameaça a um homem que deu carona a uma mulher para registrar B.O. contra o ex-companheiro, amigo do policial civil

Pepita Ortega

12 de junho de 2019 | 12h07

Abelardo Luz. Foto: Google Maps

A Justiça em Santa Catarina condenou Lucas Sernajoto (MDB), vereador e policial civil de Abelardo Luz, por porte ilegal e disparo de arma de fogo, coação de testemunha, abuso de autoridade, embriaguez ao volante e dano ao patrimônio público. O policial está preso desde 19 de abril.

Sernajoto terá de cumprir nove anos, cinco meses e 28 dias de prisão em regime fechado, teve sua Carteira Nacional de Habilitação suspensa por dois meses e 10 dias e perdeu o cargo na Polícia Civil da cidade.

Cabe recurso da decisão, mas o policial não poderá apelar em liberdade. As informações foram divulgadas pela Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Segundo os autos, por volta das 5 horas do dia anterior à sua detenção preventiva, Serjanoto teria emprestado a um amigo uma espingarda da delegacia do município.

Abelardo Luz tem cerca de 18 mil habitantes e fica a aproximadamente 380 quilômetros de Florianópolis.

Ambos teriam então seguido para o assentamento Roseli Nunes, também na cidade, em uma viatura da Polícia Civil.

No local, a dupla entrou na casa de um homem sem ordem judicial e o ameaçou. De acordo com os autos, este homem teria dado carona à ex-companheira do colega de Serjanoto para que a mulher registrasse um boletim de ocorrência contra ex-namorado. A vítima das ameaças é também testemunha em processo do antigo casal.

Ao saírem da residência, Serjanoto e seu amigo efetuaram diversos disparos de arma de fogo, indicam os autos. Dirigiram-se, então, até a casa dos pais da mulher, onde dispararam novamente a espingarda e ameaçaram a ex-companheira do amigo.

Ainda segundo os autos, a dupla percorreu as ruas do assentamento com o carro da Polícia Civil de Abelardo Luz e efetuou novos disparos de espingarda.

Quem dirigia a viatura era Lucas Sernajoto, que ‘estava sob efeito de bebida alcoólica’. O policial capotou o veículo, ‘causando prejuízo ao erário’, e depois deixou o local do acidente.

O amigo do policial, acusado de porte ilegal e disparo de arma de fogo e coação, foi condenado a seis anos e quatro meses de reclusão em regime semiaberto. Ele poderá recorrer em liberdade.

Quanto ao cargo de vereador, Sernajoto formalizou sua renúncia no fim de abril, indica a Câmara de Abelardo Luz

O vereador Antônio de Medeiros (PTB) foi convocado para assumir a vaga na Casa Legislativa.

Quando a prisão preventiva do ex-vereador foi decretada, a Câmara de Abelardo Luz informou que suspendeu o pagamento dos subsídios do policial e convocaria um suplente após 15 dias.

COM A PALAVRA, O POLICIAL LUCAS SERNAJOTO

A reportagem busca contato com a defesa do policial civil Lucas Sernajoto. O espaço está aberto para manifestação.

Mais conteúdo sobre:

Santa Catarina [estado]