Justiça condena pai a 59 anos de prisão por estupro das filhas menores de 14

Justiça condena pai a 59 anos de prisão por estupro das filhas menores de 14

Segundo Ministério Público do Paraná crimes ocorreram entre 2001 e 2015 na residência em que o acusado vivia com as meninas, na Cidade Industrial de Curitiba; réu já está preso; abusos tiveram início quando as meninas ainda tinham cinco e seis anos e se agravaram após a morte da mãe

Redação

02 de maio de 2019 | 07h30

Foto: Jason Morisson/Free Images

A Justiça condenou a 59 anos e 7 meses de reclusão, em regime fechado, um homem acusado do estupro de suas próprias filhas em Curitiba. De acordo com a denúncia do Ministério Público do Paraná, oferecida pela 1.ª Promotoria de Justiça de Infrações Penais contra Crianças, Adolescentes e Idosos da Região Metropolitana de Curitiba, ‘o homem constrangeu duas filhas, ambas menores de 14 anos à época dos fatos, a praticar atos libidinosos com ele’.

Os crimes, segundo a Promotoria, ocorreram entre 2001 e 2015, na residência em que o acusado vivia com as meninas, na Cidade Industrial de Curitiba.

A sentença foi aplicada no último dia 26 de abril. O réu já se encontrava detido por força de prisão provisória, ‘uma vez que, armado com uma faca, atentou contra a vida das vítimas após a revelação dos fatos, chegando a entrar em confronto com dois vizinhos que saíram feridos’.

De acordo com a investigação do Ministério Público do Paraná, conduzida a partir dos depoimentos colhidos pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítima de Crime (Nucria), ‘os abusos tiveram início quando as vítimas ainda eram muito pequenas, a partir dos cinco e seis anos de idade, e pioraram após a morte da mãe das garotas’.

O processo (Autos 0002674-79.2018.8.16.0007) tramita em segredo de justiça.

Tendências: