Justiça condena mulher que falou mal de pet shop no Facebook

Justiça condena mulher que falou mal de pet shop no Facebook

Desembargador adverte, em seu voto, que 'qualquer conteúdo veiculado por meio virtual propaga-se com uma velocidade impressionante e tem disseminação completamente abrangente, oferecendo riscos dos mais variados aos envolvidos'

Redação

10 Fevereiro 2015 | 13h36

Por Julia Affonso

Uma mulher terá de indenizar uma clínica veterinária e uma médica em Campinas, interior de São Paulo, após falar mal de ambas no Facebook. Ela foi condenada pelo Tribunal de Justiça do Estado a pagar R$ 8 mil, por danos morais, pois não provou as injúrias.

A cadela da cliente da pet shop havia tido um sangramento após uma cirurgia de castração, em abril de 2013, e correu risco de morte. Após o episódio, ela teria publicado no Facebook afirmações consideradas injuriosas sobre o estabelecimento e a médica responsável pela operação do animal.

Foto: Reuters

Foto: Reuters

A dona da clínica ajuizou ação indenizatória, cuja sentença determinou o pagamento de reparação pela cliente. O desembargador Alexandre Marcondes, relator da ação no TJ,  manteve a condenação de 1.ª instância e elevou o montante da indenização de R$ 5 mil para R$ 8 mil.

“Houve ofensa direta à honra do estabelecimento e da profissional que lá trabalhavam, sem qualquer confirmação material das alegações propagadas”, advertiu o relator. “Sabe-se que qualquer conteúdo veiculado por meio virtual, hoje em dia, propaga-se com uma velocidade impressionante e tem disseminação completamente abrangente, oferecendo riscos dos mais variados aos envolvidos.”

Marcondes anotou, ainda. “A autora poderia perder credibilidade na profissão e ter sido atacada no local de trabalho, além de perder clientes já conquistados.”

 

Mais conteúdo sobre:

FacebookTJ-SP