Justiça condena funcionária de RH por desvio de vale-refeição

Justiça condena funcionária de RH por desvio de vale-refeição

Regiane Martins utilizava dados de empregados desligados da empresa para cometer a fraude; prejuízo estimado bate em R$ 19 mil

Pedro Prata, especial para o Estado

01 Novembro 2018 | 05h30

Tribunal de Justiça de São Paulo. Foto: TJSP

A analista administrativa Regiane Martins foi condenada por estelionato após supostamente desviar valores de vale-alimentação e vale-refeição da empresa M Cassab Comércio e Indústria Ltda., onde trabalhava no setor de recursos humanos. O prejuízo foi calculado em R$ 19 mil.

O golpe foi descoberto quando um ex-empregado do negócio notou que continuava recebendo os benefícios, embora já não tivesse mais direito. Ele informou o caso à empresa, que alertou a companhia responsável por administrar os cartões magnéticos com o benefício.

As duas empresas abriram investigação e descobriram que a mulher usava dados de funcionários desligados da empresa para a fraude. Embora tenha negado inicialmente, Regiane acabou confessando o crime depois de ser questionada pela Polícia.

Ele disse que vendia os créditos por ‘enfrentar dificuldades pessoais’. Após a comprovação de sua responsabilidade, foi dispensada por justa causa.

Como Regiane confessou o crime, e ‘somando-se as provas colhidas em seu computador’, a juíza Cynthia Maria Sabino Bezerra Camurri a condenou a um ano e oito meses de reclusão e dezesseis dias-multa.

COM A PALAVRA, REGIANE

A Defensoria Pública de São Paulo informou ao Estado que não foi intimada da decisão e, por isso, prefere não se manifestar.

Mais conteúdo sobre:

São PauloTribunal de Justiça