Justiça condena ex-consultora do Ministério da Saúde filmada pegando propina

Justiça condena ex-consultora do Ministério da Saúde filmada pegando propina

Roberlayne Patrícia Alves pegou cinco anos de reclusão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; em junho de 2014, agentes da Polícia Federal gravaram Roberlayne pegando R$ 100 mil

Julia Affonso, Luiz Vassallo e Fausto Macedo

30 Maio 2018 | 15h15

Reprodução de vídeo em que Roberlayne Patrícia Alves pega propina

A Justiça Federal acatou parcialmente denúncia do Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul e condenou a ex-consultora técnica do Ministério da Saúde, Roberlayne Patrícia Alves, à pena de cinco anos de reclusão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Roberlayne pode recorrer da sentença em liberdade. Ela foi filmada pegando propina, segundo a Procuradoria da República, em junho de 2014.

ASSISTA O VÍDEO DA PROPINA

As informações foram divulgadas pela Assessoria de Comunicação Social da Procuradoria em Mato Grosso do Sul – ação penal: 0005320-63.2014.4.03.6000.

A Procuradoria também havia denunciado o ex-namorado dela, Pedro Paulo Prince dos Santos, pelos mesmos crimes, mas a Justiça Federal o absolveu.

Reprodução de vídeo em que Roberlayne Patrícia Alves pega propina

O Ministério Público Federal apelou da decisão e vai apresentar razões recursais, que serão julgadas pelo Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF-3).

Roberlayne foi acusada de planejar a cobrança de propina do Hospital do Câncer de Campo Grande, ‘para que houvesse a liberação de verba pública, por parte do Ministério da Saúde, para a compra de um acelerador linear e equipamentos destinados ao tratamento contra o câncer’.

Conforme apurado pela Polícia Federal, Roberlayne exigiu R$ 150 mil do HC para ‘agilizar a aprovação do convênio’, avaliado em R$ 4,6 milhões.

Denunciada pelo diretor do hospital, a ex-consultora passou a ser monitorada pela PF e foi presa em flagrante, em 16 de junho de 2014, ao supostamente receber parte da propina, em mãos, na sede do hospital.

A prisão foi gravada pela polícia.

No vídeo disponibilizado pela PF, Roberlayne aparece dentro de uma sala do HC, ‘enquanto negocia o recebimento de R$ 100 mil em cheques’. Pouco antes de deixar a sala, a ex-consultora é abordada pelos agentes da Polícia Federal.

Além da denúncia criminal, o Ministério Público Federal ajuizou Ação por Ato de Improbidade Administrativa (Improbidade administrativa: 5000351-75.2018.403.6000) contra a ex-consultora técnica do Ministério da Saúde. A ação está em sua fase inicial de notificação dos acusados.

COM A PALAVRA, ROBERLAYNE PATRÍCIA ALVES

A reportagem entrou em contato com a defesa. O espaço está aberto para manifestação.

 

Mais conteúdo sobre:

corrupção; ministério da saúde