Justiça condena ‘curandeiro’ por estelionato contra idosa

Justiça condena ‘curandeiro’ por estelionato contra idosa

Acusado disse à vítima que se não levasse a ele cinquenta notas de 'alto valor', ela morreria em poucos dias, por causa de uma doença

Pepita Ortega

17 de abril de 2019 | 12h56

A dupla causou prejuízo de R$ 12 mil à senhora. Foto: Hélvio Romero / AE

O Tribunal de Justiça de São Paulo manteve a condenação de um casal a um ano e quatro meses de prisão por estelionato contra uma idosa. João Batista do Nascimento se passou por curandeiro e, auxiliado por Tamara Jaqueline Carvalho Santos, causou prejuízo de R$ 12 mil à vítima.

Documento

Segundo o processo, a idosa estava em uma feira quando foi abordada por uma mulher que fez perguntas sobre sua saúde e disse conhecer um ‘benzedor’ que curaria suas doenças.

As duas foram ao encontro do suposto curandeiro, que pediu uma cédula de R$ 10 à idosa e a esfregou nos locais do corpo onde a senhora dizia sentir dor.

João disse então à vítima que se não levasse a ele cinquenta notas de alto valor, ela faleceria em poucos dias, por causa da doença.

A mulher entregou o cartão de crédito ao estelionato, além de R$ 5 mil em espécie.

Ainda segundo o documento, João fingiu embrulhar o dinheiro e o cartão da senhora, simulando a execução da ‘cura’, e entregou a ela um pacote lacrado, solicitando que o mesmo só fosse aberto depois de três dias.

Quando abriu a embalagem, a idosa encontrou apenas papéis de propaganda religiosa. Ao conferir o extrato do banco, verificou que a dupla havia realizado um saque de R$ 7 mil.

O desembargador Ricardo Sale Júnior, relator, negou o recurso dos réus, que pediam a diminuição de pena e a fixação do regime semiaberto.

Segundo o magistrado, o casal não se limitou a causar à senhora o prejuízo de R$ 5 mil, mas repetiu o ato, sacando R$ 7 mil de sua conta.

Mais conteúdo sobre:

EstelionatoTJ [Tribunal de Justiça]