Justiça condena a 28 anos homem que matou o próprio pai porque não pôde sair de moto

Justiça condena a 28 anos homem que matou o próprio pai porque não pôde sair de moto

Tribunal do Júri de Guarapuava, no Paraná, impôs pena de reclusão ao réu que, após comemoração de revéillon em 1.º de janeiro de 2018, também agrediu a mãe e a irmã

Redação

19 de março de 2019 | 16h53

Fórum de Guarapuava. Foto: Reprodução/Google Streetview

O Tribunal do Júri de Guarapuava, na região Centro-Sul do Paraná, condenou um homem a 28 anos e 29 dias de prisão pelo assassinato do próprio pai – crime ocorrido em 1.º de janeiro de 2018. O réu já está preso.

Segundo o processo, após comemoração de Réveillon, ele estava embriagado e queria sair com uma moto, mas o pai o impediu.

Além do homicídio qualificado por motivo fútil, o réu foi denunciado pelos crimes de lesão corporal e ameaça contra a irmã e a mãe, ‘mediante violência doméstica’.

Ele ateou fogo na casa da família, que ficou totalmente destruída.

A tese da acusação, sustentada pela 10.ª Promotoria de Justiça de Guarapuava, foi integralmente acolhida pelos jurados.

Tudo o que sabemos sobre:

Paraná [estado]

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: