Justiça abre ação contra ex de Brunet por lesão corporal grave

Justiça abre ação contra ex de Brunet por lesão corporal grave

Empresário Lírio Parisotto é acusado de quebrar um dedo e quatro costelas da modelo; ele alega que sofria 'muitas agressões' dela

Mateus Coutinho, Julia Affonso e Fausto Macedo

28 de julho de 2016 | 13h54

Luiza Brunet denunciou o ex-namorado Lírio Parisotto por agressão física. Foto: Reprodução/O Globo

Luiza Brunet denunciou o ex-namorado Lírio Parisotto por agressão física. Foto: Reprodução/O Globo

A Justiça de São Paulo abriu ação criminal contra o empresário Lírio Parisotto, de 62 anos, acusado de agredir sua ex-mulher, a atriz e modelo Luiza Brunet, de 54. Com a decisão, o executivo vai responder pelos crimes de lesão corporal grave por ter supostamente quebrado um dedo dela em dezembro de 2015, no Brasil, e lesão corporal leve, por ter quebrado quatro costelas da ex-modelo durante uma viagem do casal aos EUA, em maio deste ano.

A denúncia do promotor Carlos Bruno Gaya da Costa, do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid) foi feita a partir da denúncia da própria atriz, e investigações da promotoria, que também ouviu a versão do executivo.

Luiza Brunet e Lírio Parisotto. Foto: Sonia Racy/Estadão

Luiza Brunet e Lírio Parisotto. Foto: Sonia Racy/Estadão

Desde o final de junho, a pedido do Ministério Público, a Justiça proibiu o empresário de se aproximar ou mesmo manter contato com a ex devido as denúncias de agressões.

Os crimes de lesão corporal de natureza leve no contexto da violência doméstica podem ter penas de três meses a três anos de detenção; se a lesão for de natureza grave, as penas podem ser 1 ano a 5 anos de reclusão. A classificação das lesões sofridas pela atriz foi feita pelos laudos técnicos do Instituto Médico Legal.

Ao longo da investigação, o empresário depôs ao Ministério Público e alegou que foi agredido “muitas vezes” pela namorada e que iria apresentar provas, inclusive testemunhais, de sua versão.

COM A PALAVRA, O CRIMINALISTA CELSO VILARDI, DEFENSOR DE LÍRIO PARISOTTO:

“O advogado Celso Vilardi lamenta que o processo tenha sido iniciado com base numa versão que já se comprovou inverídica. Causou perplexidade a postura da acusação que se recusou ouvir testemunhas e efetuar diligências que resgatariam a verdade. De toda forma, no curso do processo Lírio Parisotto comprovará sua inocência”.

Tendências: