Júri condena homem por jogar filho de quatro meses no rio Negro após briga com a mãe sobre pensão de R$ 400

Júri condena homem por jogar filho de quatro meses no rio Negro após briga com a mãe sobre pensão de R$ 400

Josias de Oliveira Alves foi sentenciado a três anos e nove meses de prisão por homicídio culposo, sem intenção de matar, e lesão corporal; ele poderá recorrer da decisão em liberdade

Redação

25 de fevereiro de 2020 | 11h00

rio Negro. Foto: Vitor Tavares / Estadão

Os jurados que compuseram Conselho de Sentença da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Manaus decidiram condenar um homem a três anos e nove meses de prisão por ter jogado o filho no rio Negro após briga com a mãe sobre pensão alimentícia de R$ 400.

A Sessão teve início na quarta, 19, mas só terminou às 14h30 desta quinta, 20, com a leitura da sentença.

As informações foram divulgadas pelo Tribunal de Justiça do Amazonas.

Josias de Oliveira Alves foi denunciado pelo homicídio do filho, à época com quatro meses, por tê-lo jogado no rio por volta das 21h do dia 14 de agosto de 2015 após uma briga com a mãe da criança, Cleudes Maria Batista.

Durante o julgamento, os jurados votaram pela desclassificação do crime de homicídio doloso, com intenção de matar, e condenaram o pai por homicídio culposo, sem intenção de matar, e lesão corporal.

A sessão de foi presidida pelo juiz Celso Souza de Paula, que determinou que Josias recorra da sentença em liberdade, uma vez que ele já respondia ao processo em tal condição.

Tudo o que sabemos sobre:

Manaus [AM]Pensão Alimentícia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.