Júri condena a 21 anos de prisão mulher que matou a irmã por ter filho com seu marido

Júri condena a 21 anos de prisão mulher que matou a irmã por ter filho com seu marido

Tribunal do Júri de Concórdia, na região Oeste de Santa Catarina, acolhe tese da acusação; marido da condenada e pivô do crime, com 61 anos à época do crime, pegou três anos e seis meses por tentar subornar uma testemunha

Aramis Merki II

06 de maio de 2019 | 16h55

Fórum de Concórdia, cidade de Santa Catarina a 450 km da Capital, Florianópolis. REPRODUÇÃO, GOOGLE STREET VIEW

Uma mulher foi condenada a 21 anos e seis meses de prisão por matar a própria irmã, de 18 anos, em Concórdia, no oeste de Santa Catarina. A motivação seria um relacionamento da jovem, então com 14 anos, com o marido da acusada, com 61 anos à época. O envolvimento extraconjugal resultou em um filho, que atualmente tem quatro anos.

Conforme a acusação, na noite de 18 de abril de 2018, a vítima foi abordada pela irmã e o sobrinho enquanto caminhava. Ela teve as mãos amarradas e foi levada a uma comunidade no interior do município, onde foi atingida por dois disparos de arma de fogo.

O júri foi realizado na terça-feira, 30, sob presidência do juiz substituto Edipo Costabeber. Na acusação, atuou a promotora de justiça Mariana Mocelin, com assistência de Camila Raquel Hilgert.

A mulher de 33 anos foi condenada por homicídio duplamente qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menores e entrega da direção de veículo a pessoa não habilitada. O cumprimento da pena será em regime fechado. Assim que o juri popular decidiu a sentença, a condenada voltou ao presídio em que estava desde a época do crime.

O marido da condenada e pivô do crime foi julgado na mesma sessão por tentar subornar uma testemunha de acusação. Foi condenado a três anos e seis meses em regime aberto. O filho do casal, acusado de ter auxiliado no crime, tinha 17 anos e cumpre medida socioeducativa.

Tudo o que sabemos sobre:

Santa Catarina [estado]

Tendências: