Juízes federais apontam risco de perseguição do Talibã e pedem a Itamaraty asilo para 270 magistradas afegãs

Juízes federais apontam risco de perseguição do Talibã e pedem a Itamaraty asilo para 270 magistradas afegãs

Por meio de sua principal entidade de classe, os juízes federais do Brasil apelam ao ministro Carlos Alberto Franco França, das Relações Exteriores, para que seja concedido visto humanitário às colegas do Afeganistão

Pepita Ortega e Fausto Macedo

26 de agosto de 2021 | 10h34

Força Aérea dos EUA trabalha pela retirada de pessoas do Afeganistão. Foto: Air Force/Master Sgt. Donald R. Allen/Handout via REUTERS (arquivo)

A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) enviou ofício ao Ministério das Relações Exteriores nesta terça-feira, 25, pedindo concessão de visto humanitário às juízas afegãs. De acordo com a entidade, cerca de 270 magistradas ainda residem no território afegão e estão em risco por desempenharem atividades jurisdicionais – eventualmente, até por terem julgado e condenado membros do Talibã, que retomou o controle do país.

Documento

A Ajufe pede que, diante do ‘episódio de fragilização dos direitos fundamentais’ das magistradas que podem vir a ser perseguidas, seja concedido asilo às juízas afegãs, com base na Lei de Migração. A entidade se colocou à disposição para, juntamente com o Conselho Nacional de Justiça e demais órgãos públicos, formular soluções e políticas de acolhida para as mulheres.

A entidade enviou ainda solicitação para audiência com o ministro de Relações Exteriores, o diplomata Carlos Alberto Franco França, para tratar da crise humanitária. Encontro deve acontecer entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro, diz a Ajufe.

O presidente da associação, Eduardo André Brandão, informou ainda que a entidade está dialogando com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) – órgão ao qual a Ajufe é conveniada. “Acreditamos que o Brasil possa exercer papel de liderança nesse apoio humanitário”, afirmou.

Até a manhã desta quarta-feira, 25, mais de 82 mil pessoas já haviam sido retiradas do Afeganistão. Cerca de 6 mil soldados americanos estão protegendo o aeroporto internacional de Cabul, a capital do país asiático.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.