Juízes defendem Barroso de ataques de Marun e denunciam ‘estratégia para constranger o Supremo’

Juízes defendem Barroso de ataques de Marun e denunciam ‘estratégia para constranger o Supremo’

Em nota, Associação dos Juízes Federais apoia ministro do Supremo e condena declarações que 'buscam, de forma leviana, desqualificar os trabalhos da Corte'

Luiz Vassallo

14 Março 2018 | 16h51

Carlos Marun. FOTO: ANDRE DUSEK/ESTADAO

O presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil, Roberto Carvalho Veloso, afirmou, por meio de nota, nesta quarta-feira, 14, que há ‘uma estratégia para constranger o Supremo Tribunal Federal e seus ministros’, em referência à declaração do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), que disse estudar pedir impeachment do ministro Luís Roberto Barroso após alteração do decreto do indulto natalino do governo federal.

+ Governo vai recorrer da decisão de Barroso que mudou indulto, diz Marun

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Carlos Marun, afirmou na tarde desta terça-feira, 13, que o governo vai recorrer da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso que alterou o indulto natalino e retirou a possibilidade de condenados por crimes de colarinho-branco serem beneficiados.

O texto foi editado pelo presidente Michel Temer em dezembro e teve alguns artigos suspensos pela presidente do STF, Cármen Lúcia. Marun e o ministro da Justiça, Torquato Jardim, criticaram Barroso, dizendo que a mudança no indulto “invade a competência exclusiva” de Temer.

Luis Barroso. Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

Marun afirmou ainda que avalia se licenciar do cargo de ministro para apresentar uma representação no Senado para pedir o impeachment de Barroso. Ele negou que a ideia seja uma ameaça ao ministro do STF e disse que, mesmo falando oficialmente do Palácio do Planalto, não conversou com Temer sobre o assunto. “É o deputado Carlos Marun que pensa em tomar essa atitude”, disse.

Para Veloso, ‘há uma estratégia montada para constranger o Supremo Tribunal Federal e seus Ministros, por meio de declarações que buscam, de forma leviana, desqualificar os trabalhos da Corte Suprema, sendo motivo de indignação e repúdio posturas que sejam tomadas visando à tentativa de obstrução da Justiça e de enfraquecimento do Poder Judiciário’.

“As decisões judiciais, proferidas por magistrados federais ou por Ministro do Supremo Tribunal Federal, devem ser respeitadas e cumpridas, sendo possível que contra elas sejam apresentados os recursos previstos nas leis processuais”, afirma.

“A estratégia de atacar a honra pessoal de magistrados, que desempenham sua função constitucional, como forma de intimidação e represália à atuação livre e independente, é conduta que não pode ser admitida no Estado Democrático e de Direito”, completa.

COM A PALAVRA, MARUN

A reportagem entrou em contato com o ministro. O espaço está aberto para manifestação.

Mais conteúdo sobre:

Carlos MarunLuis Roberto Barroso