Juíza põe em liberdade prefeito acusado de furtar água do São Francisco para irrigar plantação de maracujá e limão de seu sítio

Juíza põe em liberdade prefeito acusado de furtar água do São Francisco para irrigar plantação de maracujá e limão de seu sítio

Clebel de Souza Cordeiro foi preso em flagrante nesta terça, 17, por retirar, com bombas elétricas, águas do reservatório Mangueira, da transposição do Velho Chico; político também foi autuado por invasão de terras da União

Pepita Ortega

18 de dezembro de 2019 | 16h59

A juíza Aline Soares Lucena Carnaúba concedeu, na manhã desta quarta, 18, liberdade provisória ao prefeito de Salgueiro (PE), Clebel de Souza Cordeiro, que foi preso em flagrante na terça, 17, sob suspeita de retirar água do reservatório Mangueira, da transposição do Rio São Francisco, para irrigar uma plantação de maracujá em próprio seu sítio. Para deixar a prisão, o político terá de pagar fiança de 100 salários mínimos, além de obedecer a uma série de medidas cautelares estabelecidas pela magistrada.

Rio São Francisco. Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Ele terá de comparecer pessoalmente à 20.ª Vara Federal para informar e justificar suas atividades, mensalmente, a partir de janeiro, não poderá mudar de endereço sem avisar o juízo e, ainda, está proibido de frequentar as terras da União.Caso descumpra as medidas, o prefeito pode ter prisão preventiva decretada.

Na decisão, Aline indica ainda que teria havido resistência do prefeito em colaborar com as investigações. Uma servidora pública disse aos investigadores que tentou por vezes entrar com contato com o político para informá-lo das ilegalidades, mas os funcionários do prefeito diziam ter ordens para que ninguém entrasse no sítio.

O flagrante ocorreu nesta terça, 17, durante cumprimento de um mandado de busca e apreensão, expedido pelo juízo da 20.ª Vara Federal de Salgueiro, na propriedade de Cordeiro, conhecida como Sítio Mulungu.

O prefeito de Salgueiro, Clebel de Souza Cordeiro. Foto: Instagram / Reprodução

Na ocasião, o prefeito foi autuado não só pelo crimes de furto de água do Velho Chico, mas também por invasão de terras da União, uma vez que as autoridades identificaram que o terreno do sítio avançava dentro de propriedade da União – da Área de Proteção Permanente do Reservatório Mangueira e da Área de Reserva Legal VPR Baixo dos Grandes.

A PF apreendeu as bombas elétricas que o prefeito utilizava para retirar a água do reservatório.

COM A PALAVRA, O PREFEITO
Segundo a Polícia Federal, interrogado o prefeito Clebel de Souza Cordeiro disse que ‘não tinha conhecimento de que era proibido usar e retirar a água da barragem Mangueira’. Segundo ele, ‘devido a esse desconhecimento retirava a água e usava para irrigar as plantações de maracujá, manga e limão’.
Ainda segundo a PF, o político afirmou ainda que ‘não invadiu as terras da União’ e indicou que ‘houve um processo de desapropriação da terra antes do início das obras da transposição do Rio São Francisco’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: